[php]insere("tit_adrianaemariaaugusta")[/php]

Artigo
Dicas para o inverno

:::29/05/2006

O clima exerce uma influência grande sobre o nosso organismo, tanto sobre a pele pelos fatores externos, quanto no humor. O inverno é a época ideal para fazer tratamentos estéticos de ação mais profunda. É a estação propícia, pois vindo em seguida a uma época de muito sol, o corpo está mais necessitado de cuidados específicos.

No verão, devido ao calor, há uma exposição, muitas vezes, exagerada aos raios solares. Muitos ainda não se preocupam com os perigos causados pela radiação solar, freqüentando praias e piscinas em horários inapropriados, sem o uso de protetor solar, utilizando fatores de proteção insuficientes e até mesmo se esquecendo de reaplicá-lo, acreditando ser necessária apenas uma aplicação.

Essas ações deixam em curto prazo seqüelas como queimaduras, descamação, desidratação e manchas na pele e em longo prazo o envelhecimento. A pele do corpo também sofre esses efeitos.

Com a chegada do inverno os dias tornam-se mais frios, secos, nebulosos e se observarmos bem, nossa pele se modifica com essas variações climáticas. O vento frio, as baixas temperaturas e a pouca ingestão de líquidos colaboram para que a pele do rosto e do corpo se apresente manchada e sem brilho, tornando-se também mais ressecada, podendo até mesmo apresentar uma leve descamação.

Essas alterações, se não tratadas corretamente, podem piorar. Por isso é importante dedicar um cuidado especial para o rosto e o corpo. É indicado iniciar nesta estação um tratamento estético em uma clínica especializada, com o intuito de esfoliar, hidratar e nutrir a pele.

Momento propício para se tratar as manchas, pois pode ser usado uma variedade de produtos clareadores que são fotossensíveis (podem manchar a pele se a pessoa se expuser ao sol). Como a incidência dos raios solares é menor, podemos fazer tratamentos mais agressivos como os peelings de média intensidade como os de ácido tricloroacético, resorcina, uso de ácidos com maior poder de penetração como também os laseres.

A falta de viço e a textura um pouco mais áspera da pele mostram a necessidade de retirada de pequenas camadas superficiais, eliminando as células mortas e propiciando uma melhor penetração dos produtos de tratamento, que passam a agir com mais facilidade. O uso de hidratante é importante e o correto é que estes produtos, utilizados para hidratar a pele do rosto, possuam também substâncias como as vitaminas C e E, coenzima Q10, DMAE , argireline e tantas outras.

Para quem quer se preparar para o verão é a época também ideal para iniciar ou continuar um tratamento de corpo. Os tratamentos que visam melhorar a celulite, estrias, gorduras localizadas, flacidez e secar vasinhos das pernas requerem, no mínimo, oito semanas de tratamento. Estes tratamentos estéticos podem causar pequenas manchas roxas (equimoses) nos locais onde são aplicados, mas que desaparecem em pouco tempo. Nada melhor do que fazer nesta estação quando usamos roupas bem fechadas.

As áreas mais comumente afetadas pelo ressecamento são as extremidades do corpo, como mãos, pés, joelhos e cotovelos. Por isso, devemos utilizar hidratantes mais potentes, pois são áreas de atrito e acumulam muitas células mortas. Recomenda-se o uso de um esfoliante nestes locais antes da aplicação do hidratante ou durante o banho. Porém, este uso deve ser restrito a duas aplicações quinzenais.

Para as mãos, os hidratantes devem conter em sua formulação silicones que promovem um filme protetor sobre a pele para que ela não resseque, uma vez que as mãos são partes que ficam mais expostas. Prefira sabonetes líquidos, pois eles têm um ph mais compatível.

Os pés também têm que ser tratados com atenção já que durante o inverno usamos calçados fechados com meias, o que predispõe a um aquecimento e umidade maiores no seu interior, fazendo aparecer ou piorar os quadros de micoses nas unhas ou entre os dedos.

Por isso nesta época não devemos usar o mesmo par de sapatos todos os dias. Em casa eles devem ficar em local ventilado e não guardados em gavetas ou sacos plásticos. Para evitar que eles sofram a ação do mofo, pode ser aplicado no interior do sapato um pouco de produto desinfetante (tipo pinho) em um pano seco. Mas, atenção: pessoas alérgicas não devem fazer este procedimento.

O banho quente e mais longo que o habitual, embora seja muito relaxante, deve ser evitado, pois provoca um ressecamento maior da pele, tirando sua oleosidade natural.

O uso da bucha vegetal tem que ser criterioso, pois sua utilização juntamente com o sabonete pode diminuir a camada do manto hidrolipídico da pele, que é uma cobertura formada por gordura e suor que nos protege de agentes externos como vírus, bactérias e fungos. Se quiser usar a bucha não a utilize com o sabonete.

Tão importante quanto lavar o nosso corpo é saber enxugá-lo bem.

Com estes cuidados, a pele estará mais bem preparada para enfrentar as alterações do inverno, de modo que ela se mantenha sempre bonita, hidratada e saudável.


Clique aqui e mande sua pergunta
ou opinião sobre este assunto

Adriana Ritti e Maria Augusta Torres
são médicas especialistas em Medicina Estética
Saiba mais, clicando aqui

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.