[php]insere("tit_adrianaemariaaugusta")[/php]

Artigo
Manchas na pele

:::29/08/2006

Fotos: Adriana e Maria Augusta
Proibida reprodução sem autorização


O ser humano ao nascer apresenta na maioria dos casos a pele lisa, fina, delicada, íntegra, macia, bem hidratada e com ausência de manchas ou imperfeições. No decorrer da vida, a criança fica constantemente se expondo ao sol nas brincadeiras em parquinhos e pracinhas, na ida a escola, na prática de esportes ao ar livre, em praias e piscinas, além de outras atividades do dia-a-dia.

Este hábito de estar diariamente se expondo ao sol permanece na adolescência e na idade adulta. Os efeitos nocivos do sol que ficaram acumulados na pele durante todas essas fases vão gradualmente alterando toda a estrutura da pele. Quando chega a idade madura, a pele apresenta alterações de cor, de textura, de aspereza ficando mais seca, manchada, desvitalizada e desidratada. Em pessoas de pele mais clara esses efeitos são mais aparentes do que em pessoas de pele escura.

A pele tem células especiais, chamadas melanócitos, têm a função de produzir uma substância escura que é a melanina. A melanina é responsável pela cor da pele, cabelo e olhos. A função da melanina é defender os tecidos contra os efeitos nocivos dos raios solares principalmente os raios ultravioleta.jpg Ela, por ter uma coloração acastanhada, impede que os raios solares atinjam o núcleo das células.

O núcleo sendo atingido pode provocar alterações que transformam aquela célula sã em uma célula doente (lesões cancerosas e pré-cancerosas). Por isso é importante evitar a exposição ao sol nos horários de 10h às 16h, quando a radiação solar é mais intensa.

Outros cuidados importantes são a aplicação de fotoprotetor diariamente, mesmo em dias nublados, e o uso de chapéus e óculos em atividades ao ar livre. Todos esses cuidados são para evitar a penetração constante da radiação solar que além do envelhecimento precoce provoca o câncer de pele como o carcinoma basocelular, carcinoma espinocelular e o melanoma maligno. Quando a família decide adotar esses hábitos saudáveis ela irá certamente mudar a qualidade de vida dos seus integrantes.

O tipo de mancha mais comum que pode aparecer no recém -nascido é o hemangioma, mancha de cor avermelhada, saliente, parecida com a superfície de um morango. Podem aparecer também manchas de cor rosada, não salientes, na testa, pálpebras ou na nuca que desaparecem em alguns meses. Existe também a mancha mongólica que é comum nas coxas, costas e nádegas, com coloração azul-acinzentada pelo depósito maior de melanina, sem repercussões para a saúde da criança.

Na infância, a criança pode apresentar sardas ou efélides que são manchas castanhas claras, de pequeno diâmetro, em forma de pontos, hereditárias. Surgem em crianças de pele clara que se expõem excessivamente ao sol, ficando mais ativas e aparentes nos meses de verão e menos aparentes nos meses de inverno. Nesta fase são mais comuns na face.

Na adolescência, as sardas adquiridas na infância permanecem e, se não forem prevenidas, irão acentuar-se ou espalhar-se pelo corpo. Outras manchas que podem aparecer nesta fase são as micoses e também manchas brancas e ásperas que aparecem logo após a exposição solar mais prolongada que é a pitiríase alba.

Na fase adulta, a pele que já sofreu os efeitos do sol, é também influenciada pelos hormônios. O melasma aparece principalmente nas mulheres durante a gravidez, após tratamentos hormonais ou com o uso de anticoncepcionais. Ele surge como manchas acastanhadas nas regiões malares, testa, nariz, lábio superior e têmporas.

Na fase adulta, a pele que já sofreu os efeitos do sol, é também influenciada pelos hormônios. O melasma aparece principalmente nas mulheres durante a gravidez, após tratamentos hormonais ou com o uso de anticoncepcionais. Ele surge como manchas acastanhadas nas regiões malares, testa, nariz, lábio superior e têmporas. Outras manchas que são comuns são as melanoses solares ou manchas senis. São geralmente pequeninas, mas podem chegar a alguns centímetros. Evidentes na face, colo, braços, dorso das mãos e pernas. Tornam-se ásperas e podem descamar.

As leucodermia punctata são manchas brancas, pequenas, em forma de pontos, que se localizam principalmente em pernas e braços. Ocorrem devido à deficiência de produção da melanina, por envelhecimento do melanócito. Essas manchas são muito comuns em pessoas que tiveram uma exposição intensa ao sol e é de difícil tratamento já que o melanócito não realiza bem suas funções.

Em axilas e parte íntimas das coxas podem aparecer manchas. Antes de qualquer tratamento para manchas o médico sempre avalia se é algum tipo de micose ou uma dermatite pelo uso de desodorantes ou pela depilação. A inflamação de um pêlo que se encrava (foliculite) também pode levar ao aparecimento de manchas em virilhas e axilas (leia matéria).

Em pessoas que sofrem queimaduras, após a cicatrização fica uma mancha escura (hipercrômica). Substâncias presentes em refrigerantes, perfumes, frutas como limão, figo, caju são fotossensibilizantes e tornam-se reativas quando em contato com o sol. Provocam manchas escuras no pescoço e ao redor da boca que são de difícil clareamento em um tempo reduzido.

Manchas sempre devem ser avaliadas por um médico já que só este profissional pode detectar se elas são benignas ou apresentam tendências a malignidade. Algumas doenças como o Vitiligo, Hanseníase, Micoses, Lúpus e outras têm também como características manchas hipocrômicas (claras) na pele. Manchas que aumentam de tamanho, apresentam coceira ou sangramento, com bordos irregulares e enegrecidas, têm que ser avaliadas e acompanhadas . Por isso, ao aparecimento de qualquer lesão, seja ela clara ou escura, procure um médico para tratamento.

O tratamento de manchas visa em primeiro lugar a proteção diária pela aplicação de protetores solares. Os raios Ultravioleta A (UVA) estão presentes o dia inteiro e penetram profundamente na pele e também potencializam os efeitos dos UVB que atuam mais na camada superficial da pele. Outros tratamentos são:

  • Evitar a exposição solar em horários indevidos
  • Aplicar protetores solares diários desde a infância
  • Fotoproteção durante a gravidez para evitar o melasma
  • Uso de repelentes em praias e campos
  • Evitar coçar a região picada pelo inseto
  • Tratar a acne para evitar seqüelas
  • Tratar os pêlos encravados
  • Evitar contato com frutas como limão, figo, caju quando estiver ao sol
  • Não ficar descalço em ambientes úmidos como saunas e piscinas para evitar as micoses
  • Quando estiver com roupas de banho procure assentar-se em toalhas secas
  • Após qualquer queimadura de pele, não se expor ao sol.
  • Procure fazer consultas periódicas para seu médico avaliar e acompanhar as manchas e pintas
  • Ao aparecer alguma pinta na pele ou ao sinal de modificações na cor, no tamanho, se a pinta sangrar ou não cicatrizar, procure imediatamente seu médico
  • Nas manchas senis ou solares o tratamento visa o clareamento com cremes à base de produtos como ácido retinóico, hidroquinona, ácido glicólico, ácido fítico, ácido kójico, arbutin, ácido azelaico, vitamina C e outros
  • Em mãos e face a crioterapia ou nitrogênio líquido tem excelente indicação. Também os Peelings de ácido glicólico, ácido retinóico, resorcina, ácido tricloroacético e de cristal. Nas manchas também podem ser usadas a neve carbônica, a microcauterização e vários tipos de laser.


    Clique aqui e mande sua pergunta
    ou opinião sobre este assunto

    Adriana Ritti e Maria Augusta Torres
    são médicas especialistas em Medicina Estética
    Saiba mais, clicando aqui

    Conteúdo Recomendado

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.