Cabelo e corpo bonito Dermatologista diz que malhar faz mal para os cabelos.
Cabeleireira dá as dicas para reverter a situação

Fernanda Leonel
Repórter
30/10/06

Quer ter um cabelo saudável? As sugestões são da cabeleireira Márcia Fajardo, para quem freqüenta o ambiente de malhação ou não. Clique para ver o vídeo, ao lado


Imagem
de uma mulher na academia Ir para a academia é sinônimo de preocupação com a saúde. Mas para muita gente, também pode ser preocupação com a estética e a beleza. Quem sua, transpira e dedica horas de seu dia em busca de melhora no visual, só precisa ficar ligado em uma coisa: cuidar do corpo pode estragar o cabelo.

É que segundo o dermatologista Cristiano Pinheiro, malhar faz bem para o corpo e para mente em grandes quantidades, o que não acontece com o cabelo. Para o profissional, o ambiente da academia e as "rotinas" do culto ao corpo são inimigos dos fios sedosos e cheios de vida.

Como explica Cristiano, o sal do cabelo produzido durante o exercício pode deixar o cabelo opaco, sem brilho e quebradiço. "É claro que a manifestação da quantidade de sal colocado para fora e até de maneira que a pessoa transpira contribui para a perda menor ou maior do viço do cabelo". O sal do suor suor somado à oleosidade natural da malhação acabam prejudicando quem está super aí para o visual.

"O cabelo longo é o mais prejudicado, porque inevitavelmente toca os ombros, a bochecha e as costas e absorve todo o sal que o corpo joga para fora", afirma Cristiano, lembrando que é preciso sempre ir para a academia com os cabelos presos para minimizar os problemas.

Outro fator ainda é determinante para que os freqüentadores de academia fiquem mais ligados nos cuidados com a "moldura do rosto". As impurezas do ambiente fitness como poeira, o álcool usado para limpar o equipamento, desinfetante nos colchonetes são agentes externos que colaboram para danificar os fios.

A cabeleireira Márcia Fajardo (foto abaixo), concorda com o dermatologista, mas tem uma opinião que abranda o coração de quem gosta de um corpo bacana, mas se preocupa com o cabelo também. Para ela, os desgastes do cabelo na academia existem, mas causam danos de efeitos parecidos com outras atividades que realizamos.

foto da cabeleireira Marcia Fajardo "Não há motivos para ficar preocupado demais. É bom saber dos desgastes para se preocupar em cuidar das deficiências que a academia causou. Mas há muitas formas de repor isso", alivia.

Para quem ficou interessado, Márcia dá as dicas: hidratação é a palavra de ordem. Se você desgasta seu cabelo de alguma forma, deve devolver e ele o que ele perdeu. Esse tratamento pode ser de 10, 15 em 15 dias e até mesmo de mês em mês para quem faz academia freqüentemente e acaba transpirando muito e lavando o cabelo demais também.

Para a cabeleireira, é preciso que as pessoas entendem que hidratação não é só aquele processo de ir ao salão e as vezes pagar um preço alto para ver os cabelos macios novamente. Ela ressalta que há diferenças na hidratação caseira e na profissional, mas que a pessoa que sofre algum tipo de perda de brilho ou maciez constante, como é o caso de quem vai muito à academia, deve lembrar que a hidratação deve ser constante. E aí já depende do "bolso" de cada um para manter a hidratação como rotina.

"Quando a gente está desidratado não precisa de água? Então, com o cabelo é parecido. A primeira necessidade da desidratação é simples. Se outras coisas puderem vir, é lucro", brinca Márcia, comentando os benefícios de uma hidratação caseira para quem precisa de estar em dia com a saúde dos cabelos.

Outra dica: mantenha os cabelos presos na hora de ir para a academia e tome cuidado com o que você vai usar para prendê-los. A cabeleireira alerta que os prendedores de metal, são uma armadilha da estética moderna, já que são servem à regra de "bonitinhos e ordinários". Esses prendedores, quebram os fios do cabelo e fazem marcas que vão demorar para sair.

O ideal é usar "buchinhas" feitas com meia-calça, silicones ou então buchinhas tipo "xuxa" na definição de Márcia. Esses prendedores são aqueles baratos, encontrados em várias cores. São esses materiais que não agridem o cabelo a ainda absorvem o suor, não deixando "poças" enquanto você malha.

Transpirei na academia. Lavo o cabelo?

foto de cabeleireira lavando o cabelo da cliente Quem nunca ouviu dizer que lavar o cabelo demais estraga os fios que atire a primeira chapinha. Assim como deve atirar a primeira escova quem não costuma dizer que nada melhor que lavar os cabelos depois de transpirar bastante. Nessa dúvida, quem transita pelo ambiente da academia, fica mesmo na dúvida do que fazer. E aí, qual a solução?

Antes de dar a resposta, a cabeleireira Márcia Fajardo orienta. Não é que verdade que lavar o cabelo demais apodrece os fios ou qualquer outra coisa do tipo. Nada é tão mal quanto parece. Mas ela lembra que lavar o cabelo e não deixá-lo secar pode fazer mal sim.

Para explicar as diferenças do mito, Márcia usa a metáfora de lavar roupas para analisar a questão. A cabeleireira diz que a gente pode lavar a roupa da gente quantas vezes achar bom, só que tem que deixar secar para não mofar. No cabelo, esse "mofo", segundo Márcia, é a caspa.

Na questão academia, o conselho da profissional é que não é bom lavar os cabelos demais, mas que isso há vai da necessidade de cada um.

"Tem cabelo que vai para a academia e volta inteiro. Outros não. Assim como tem gente que precisa estar com ele arrumado todos os dias. A minha dica como profissional é que a pessoa analise com calma seu caso e tente não lavar o cabelo demais. Mas se lavar, que hidrate ele com freqüência".


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.