Quer uma balinha?

O dia em que ofereceram doce para meu filho na rua

por Bárbara Fonseca - 18/06/2021

Meu dia chegou: ofereceram bala para o meu filho. Dois anos e alguns meses e ofereceram bala para ele! Pode engasgar, pode dar pico de glicose, pode viciar, vai ficar babando a roupa toda!!!
Calma, olha, calma mesmo! Isso que eu vou contar é episódio da série “ser mãe é cuspir pra cima”, já ouviu essa expressão? Pois é...    

Fui ao shopping com a criança para comprar tênis e após algumas birras para não experimentar o sapato, a vendedora tentando ajudar, ofereceu balinha. Na mesma semana, fui dar vacina e na clinica, já fui recebida com “se ficar quietinho a tia vai dar um pirulito, mas só no final”.

Antes de ser mãe eu me preparei para esse momento e, claro, a reação planejada era dar uma palestra para a pessoa. Mas a vida ensina muito, não é mesmo? E a gente vê que levar as coisas a ferro e fogo pode deixar marcas desagradáveis. Então, vesti meu melhor sorriso e agradeci, coloquei a bala no bolso e fui atrás do menino, que já estava saindo da loja correndo em alta velocidade.

Você não precisa constranger alguém que está tentando ajudar, não precisa abrir o pirulito e chupar, ensinando o seu filho para quê aquilo serve. A criança continuou em seu estado de agitação normal e a mãe que lute para experimentar sapato, aplicar vacina... É a tal da confiança, da segurança de que a nossa conduta como mãe pode ser rígida, mas nunca punitiva e chantagista.

Muitas vezes vejo mamães sofrerem com a compulsão alimentar dos filhos por doces e guloseimas. Crianças ainda muito novas, com dois, três anos de idade. Conversando com nutricionistas e pediatras uma coisa que ouço muito é: essa criança tem poder de compra? Ou ela vê a família comendo e quer também?

É simples: se você introduz o hábito e promove o ambiente favorável, ele se consolidará. Escovar os dentes, comer verdura, dormir na mesma hora, comer (ou não!) doces, balas e biscoito, é a mesma coisa.  É difícil? Depende. Você está disposta a abandonar estes hábitos ou quer somente impor isso ao seu filho, sem dar o exemplo?

No mais, relaxe.Se você nunca deu, seu filho nem vai ligar.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.