Ventre Amigo: a dança contra o câncer

Projeto foi criado por professora e fisioterapeuta para auxiliar mulheres diagnosticadas com câncer de mama

Lucas Soares
Repórter
3/10/2015

Outubro é celebrado no mundo inteiro como o mês de prevenção e combate ao câncer de mama, o tipo mais comum da doença que acomete as mulheres, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca). O dado é preocupante, já que a doença é a segunda causa de morte natural no país, perdendo apenas para problemas cardíacos. Porém, esse índice poderia ser reduzido, em caso de uma prevenção mais eficaz.

Durante o mês, chamado de "Outubro Rosa", órgãos públicos, entidades privadas e ONGs desenvolvem ações preventivas e educativas para mulheres, voltadas para diminuir os números de mortes causadas pela doença no Brasil. Em Juiz de Fora, uma psicóloga e uma fisioterapeuta acabaram de lançar o "Ventre Amigo", um projeto que usar a dança do ventre para aumentar a conscientização feminina para o câncer. "Enquanto psicóloga e professora de danças árabes há mais de 15 anos, vejo todas as maravilhas e benefícios físicos e emocionais que a dança do ventre pode trazer a todas as mulheres que fazem aulas regulares. Os mesmos benefícios, e ainda maiores, também podem ser alcançados quando as mulheres atravessam problemas relacionados à saúde. Por ser uma dança que trabalha toda a musculatura e consciência corporal feminina os ganhos frente ao corpo e a autoestima podem ser observados a partir de poucas aulas", explica Fabiana Tolomelli.

A fisioterapeuta Simone Carvalho, que é coordenadora do projeto DE PEITO ABERTO, que oferece assistência às mulheres com câncer de mama, garante que a dança auxilia até na recuperação da doença. "Para as mulheres que fizeram cirurgia de mama por câncer, a dança do ventre comprovadamente diminui a dor e edema do braço, melhora a amplitude de movimento e a força muscular, dando melhor funcionalidade ao braço na realização das atividades diárias e melhorando a autoconfiança. Para aquelas que realizaram a cirurgia de útero, ou aquelas que tem incontinência urinária, ressalto que os movimentos pélvicos realizados nas aulas de dança do ventre reforçam a musculatura pélvica, melhora a consciência corporal na região do baixo ventre, além de trabalhar positivamente o psicológico e a autoestima. A dança do ventre pode atuar em todos os casos de câncer, propiciando um incremento na autoestima, a autoconfiança e qualidade de vida das mulheres", afirma.

E no que consiste o projeto? As mulheres interessadas em participar terão aulas gratuitas de dança do ventre todas as sextas-feiras, de 14h30 às 15h30, na na sala de fisioterapia do Hospital Universitário (HU) da UFJF. "Nossa intenção é que através da dança, essas pacientes descubram uma nova e produtiva forma de se olharem, de se reorganizarem e de se reinventarem. A dança tem o "poder" de trabalhar com o foco no positivo, no aqui e agora. No que temos de produtivo, saudável e feliz. Assim, em pouco tempo a doença deixa de ser o assunto que toma conta por inteiro das vidas dessas mulheres e dá lugar a possibilidade de um novo caminho, ainda que esteja em tratamento", conta Fabiana.

Quem tiver interesse em participar das aulas de dança do ventre no HU, deve entrar em contato com o Ambulatório de Fisioterapia do HU - Unidade Dom Bosco, através do telefone (32) 4009-5318. As interessadas poderão deixar seus nomes completos e telefones, que a equipe retornará as ligações, agendando o início das aulas.


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.