Quinta-feira, 7 de março de 2019, atualizada às 17h53

Ações do conselho e de coletivos marcam o Dia Internacional da Mulher em JF

Angeliza Lopes
Repórter

Para lembrar o Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta sexta-feira, 8 de março, o Conselho Municipal de Direitos da Mulher (CMDM) de Juiz de Fora, em parceria com a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, realizará uma caminhada e apitaço pelos pontos de ônibus da avenida Francisco Bernardino, Centro. A ação pretende alertar, a partir das 9h, contra o assédio sexual dentro dos coletivos e violência contra a mulher na cidade. Além da distribuição de apitos, as conselheiras vão divulgar a programação especial que acontecerá durante todo o mês de março. As atividades terão entrada gratuita, sem necessidade de inscrição prévia. Veja programação completa no final da matéria.

O primeiro apitaço foi realizado em novembro do ano passado, em conjunto com campanha internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres, pela Avenida Getúlio Vargas. Foram distribuídos dois mil apitos na data.

A secretária executiva e conselheira do CMDM, Vera Garcia, lembra que a importunação sexual, que era considerada apenas contravenção penal, se tornou crime desde setembro do ano passado (Lei 13.718), com pena de até cinco anos de prisão para o infrator. "Além do apitaço, organizamos um debate com participação da atual delegada Ione Barbosa e ex-delegadas da Delegacia da Mulher no dia 27, no Teatro Solar", destaca.

As juiz-foranas poderão participar ainda das palestras nos dias 11, 18 e 26, na Casa dos Conselhos, que fica na Rua Halfeld, 450, 7° andar, sobre autoestima, afetividade como prevenção e auxílio na cura de doenças e resgate histórico sobre as mulheres que deram nome as escolas e ruas de Juiz de Fora. Outra atração agendada para dia 27, quarta, é a Feira de Livros (LEIA-JF), no corredor externo da Biblioteca Murilo Mendes.

Para valorizar a produção local, ainda integra a programação uma Feira da Economia Solidária que já está acontecendo no Museu de Crédito Real, na Rua Halfeld, das 9h às 18h, até dia 16. Os visitantes poderão conferir os produtos de 10 feirantes no local.

Ato Unificado

Nesta sexta, 8, os coletivos de mulheres de Juiz de Fora se reunirão no ato político e cultural de luta 'Filhas de Elza', em homenagem a sambista Elza Soares, pelo Dia Internacional das Mulheres, com concentração no Parque Halfeld, a partir das 18h. O cortejo sairá às 19h descendo pelo Calçadão, passando pela Avenida Getúlio Vargas até chegar na Praça Antônio Carlos. O tema deste ano será Mulheres em Resistência: por Justiça, Liberdade e Direitos.

A organização informa que pela proximidade da data com o Carnaval, e entendendo que a manifestação cultural sempre foi uma forma de resistência do povo, "decidimos transformar o ato num bloco carnavalesco. Um bloco com pautas políticas e sociais". Os coletivos destacam ainda que o enredo foi escrito, exclusivamente, para o ato. "A letra foi composta por artistas mulheres da cidade e amanhã será cantado no ato-bloco, pela Alessandra Crispin, Lara Daibert, Laura Conceição e a Duda Masiero e também teremos uma bateria unificada com integrantes do Ingoma, Parangolé, Maria Maria e do Levante Popular da Juventude!", destaca uma das organizadoras Laiz Perrut.

Laiz completa que as pautas levantadas serão contra o feminicídio e o assédio, contra a Vale e denunciando o crime de Brumadinho, contra a Reforma da Previdência, justiça pela vida de Marielle.

Medalha Rosa Cabinda

Os coletivos também homenagearão 25 mulheres na próxima quarta, 13, às 19h, com a Medalha Rosa Cabinda em solenidade na Câmara Municipal. Em sua segunda edição, a medalha homenageia mulheres da cidade e região que contribuem em vários setores para o crescimento de Juiz de Fora.

Homenageadas da primeira edição da Medalha, em 2018O nome escolhido para a medalha é simbólico. Rosa Cabinda foi escrava do Comendador Henrique Halfeld. Com a Lei Rio Branco em 1871, ela passou a ter direito de comprar sua própria alforria. No entanto, o comendador não lhe concedeu, alegando que a oferta da escrava era inferior ao seu próprio valor. Cabinda, 44 anos e com deficiência em uma das mãos, recorreu à justiça e conseguiu ser alforriada.

"A Medalha Rosa Cabinda surge para ser uma espécie de contrapartida à Medalha Henrique Halfeld, ofertada pela Prefeitura de Juiz de Fora e que contempla desde sua criação, em sua imensa maioria, homens", esclarece a organização.

As 25 mulheres homenageadas nesse dia foram indicadas por coletivos e organizações que reuniu mais de 20 grupos.

Programação do CMDM

De 7/3 à 16/3 - das 9h às 18h
Feira da Economia Solidária
Local: Museu de Crédito Real

8/3 (sexta) - às 9h
Caminhada Contra a Violência Contra a Mulher | Apitaço com distribuição da programação do Mês da Mulher e apitos
Local: Pontos de ônibus Urbano no Centro

11/3 (segunda) - às 16h30
Plenária ordinária do CMDM
Palestra 'Autoestima' com Maria da Glória Camargo Pereira | Dança Circular com Ane Abdallah
Local: Casa dos Conselhos, na Rua Halfeld, 450, 7° andar

18/3 (segunda) - 15h
Ciclo de Palestras Afetividade como Prevenção e Auxílio na Cura de Doenças, com Maurílio Nogueira
Terapia Reik Coletivo, com Sumaya Lima
Local: Casa dos Conselhos

20/3 (quarta) - 18h30
Apresentação do Filme: 'Que horas ela volta?' e comentários Cristina Castro
Local: Museu Ferroviário

26/3 (terça) - 14h30
Resgate Histórico das Mulheres que deram nome as Escolas e Ruas de Juiz de Fora, com Zélia Lúcia Lima
Mulheres e Literatura, com Marisa Timponi
Apresentação de Músicas, com Maurílio Nogueira
Local: Casa dos Conselhos

27/3 (quarta) - 18h
Debate com as delegadas e ex delegadas da delegacia de Mulheres de Juiz de Fora e apresentação da peça: Lugar de Mulher, Uma Sátira ao Machismo
Local: Teatro Solar

27/3 (quarta) - 16h
Feira de Livros - LEIA/JF
Poetas e Escritores de Juiz de Fora
Local: Corredor externo da Biblioteca Murilo Mendes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.