Jussara Haddad Jussara Hadadd 12/12/2006

Pornografia, eu hein, nem pensar!

Foi-se o tempo em que pornografia era coisa só para homens ou para taradas. A pornografia mostrada hoje, sem nenhum pudor, em canais fechados de televisão, na internet, em fotos e em DVD's, além de muito bem aceita nos redutos dos casais mais ligados no que há de melhor quanto às variações na sua vida amorosa, tem ajudado muitos inexperientes a encontrar respostas para suas dúvidas mais primárias.

As locadoras oferecem títulos para todos os gostos e como tudo no mundo, a pornografia também tem o seu lado bom e o seu lado ruim. O lado bom é que ela é capaz de oferecer às pessoas muita orientação no que diz respeito inclusive sobre o aspecto negativo da coisa. As pessoas que assistem a filmes dessa natureza, tem a oportunidade de conhecer variações dentro de uma relação sexual que talvez ela jamais tenha imaginado que existisse. Para uso dentro de quatro paredes, fica a critério de cada escolher o que acha certo ou errado, bom ou ruim.

Acho que já citei esta frase do Nelson Rodrigues antes em um outro artigo, no entanto acredito que neste ela cabe muito bem também: "Tarado é toda pessoa normal pega em flagrante".

Dentro das propostas apresentadas nestas edições, encontramos o erotismo com sexo explicito ou o só erotismo, ou só sexo puro, as posições mais inusitadas, o sadomasoquismo, as fantasias de todos os gêneros (inclusive aquelas que você tem e que gostaria de ver alguém representado), a utilização de acessórios como vibradores, plugs anais, lubrificantes, palavreado mais ousado e todo o tipo de alternativa que o sexo pode oferecer.

O que para uns é extremamente repugnante, para outros é altamente excitante e até esclarecedor. Muitas mulheres resolvem seus problemas de bloqueio sexual quando tem acesso a esse tipo de expressão da arte de amar. Já vi muitos casamentos que estavam por um fio, serem resgatados após um dos dois reverem seus valores sobre o sexo quando tiveram acesso ou, mais claramente falando, depois de terem se permitido acessar os canais da pornografia. Às vezes era o temperinho que estava faltando. Hipocrisia a parte, todo mundo sabe que chega uma hora na relação a dois que só o amorzinho básico, o papai e mamãe tradicional baseado no mais puro sentimento de amor e carinho fica pouco para levar adiante todos os anos que o casal planeja passar junto.

Com exceção da internet, especificamente no caso dos menores de idade, o acesso ao material que oferece este tipo de informação é bastante controlado ou pelo menos é exigido o controle nas bancas de revistas, na livrarias e nas locadoras. A internet também pode ser controlada pelos pais. Se os adolescentes já tivessem um pouco mais de discernimento a pornografia não ofereceria perigo algum, muito pelo contrário, faria o papel de muitos pais e mães que cometem o grande erro de não orientar seus filhos sobre a sua vida sexual. Por exemplo, raros hoje em dia são os vídeos onde a camisinha não é utilizada nas relações e recomendada no inicio da apresentação.

Na verdade gente, o que a indústria pornográfica faz de melhor, porque o que tem de pior cabe a cada um julgar, é sugerir variações para melhorar a vida sexual de cada um.

E como sempre digo, sexo é uma força vital. É extremamente importante compreendermos, que precisamos dele para sermos mais felizes e neste caso, o que pudermos fazer para melhorar nosso desempenho, para ampliar nossos conceitos e para liberar nossos corpos para esta atividade que é tão saudável, será válido.

Desejo a todos os meus leitores um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de realizações, de muita saúde e de muitos amores. Obrigada pelo ano que passamos juntos o carinho de vocês me incentiva e me engrandece.

Meu abraço carinhoso a todos.


Clique aqui e mande sua sugestão sobre esta coluna

 

Jussara Hadadd é terapeuta holística,
especializada em sexualidade
Saiba mais, clicando aqui!

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.

Arquivo

Ver mais...