Jussara Haddad Jussara Hadadd 10/01/2008

Difícil, poderosa e... desfrutável

Ilustração de um casal Sabe aqueles dias em que você daria tudo por um beijo bem molhado, um abraço bem apertado daqueles que afaga o peito e o coração e depois uma transadinha deliciosa coroada de preliminares daquelas de cinema e um pós encaixadinho cheios de eu te amo e beijos apaixonados???

Acorda!!! Você só pode estar sonhando ou então está assistindo a um filme romântico ou erótico europeu. Francês, quem sabe?!

Ah, mas também não é bem assim! Algumas mulheres conseguem viver estes momentos. Conseguem sim. Nas promessas dos primeiros encontros, na lua de mel e talvez em uma ou outra vez em que o seu mancebo estiver inspirado, ou no passado, ou em alguma gostosona que ele conheceu ou viu durante o dia em algum lugar. Ai!

Ah, mas também não é bem assim! Toda regra tem exceção. Alguns homens estão sempre dispostos a inovar. Acredite. Principalmente se a mulher for daquelas que não da a mínima para ele. É, estas mulheres, as que não dão a mínima para o bofe, são as que tem mais chance de serem paparicadas. Isso pode parecer segredinho da vovó, ou da titia, mas a verdade é que eles preferem mesmo as difíceis. Dá mais tesão. Dá mais sensação de conquista, de domínio do predador. Tenho conferindo este tipo de atitude masculina analisando os depoimentos que escuto das minhas clientes.

Entre as clientes, têm aquelas que não aprendem nunca, que estão sempre rastejando aos pés do seu amado, tem aquelas que um dia aprendem depois de tanto sofrerem e têm aquelas que prestaram bastante atenção nas novelas mexicanas ou nos filmes de Hollywood dos anos 40 e 50 e que também guardaram com cuidado as conversas de suas tias e avós.

Eu mesma ouvi muitas dessas conversas. Tia Bibi, tia Vavá, tia Ildinha e mamãe Dorinha estavam sempre confabulando sobre seus maridos, noivos e namorados. Quatro irmãs, esquentadíssimas, de espírito leve e jovem. Sensualíssimas como toda árabe é, e de certa forma, ardilosas em seus planos para manter seus homens apaixonados como nos tempos de namoro. Cresci ouvindo frases como: "Tem que deixar ele com a pulga atrás da orelha", ou, "Se você fizer tudo de uma vez, seu casamento acaba em poucos meses, que novidade você vai ter para mostrar daqui a cinco anos"? Era muito engraçado, mas hoje vejo lógica na coisa.

As mulheres estão tão desesperadas para se mostrarem superiores e poderosas que já de início vão mostrando todo o seu potencial sexual, diminuindo sobremaneira as chances do seu homem se interessar ou querer desvendar nela um mistério, um segredo ou uma delicada forma de amar.

Pode mesmo ser esta a chave do mistério. Quem sabe o seu amor não está precisando se sentir um tigre caçador que domina e quer descobrir o que a sua presa tem de melhor a oferecer.

Não custa nada tentar, o resultado pode ser um homem sempre apaixonado e com um gostinho de quero mais na boca.

Uma gata manhosa, dengosa, cheirosa, sexy com roupinhas provocantes, carinhosa, meiga e difícil de levar pra cama. Deixe-o fascinado com os seus hábitos e maneira de proceder, não importa se vivem juntos há mais de muitos anos. A mulher é poderosa, como a serpente, a leoa e a tigresa, mas como estas fêmeas, deve esperar para mostrar seu poder, de verdade, quando ele for fazer um efeito devastador na vida do seu macho, ou seja, quando ele se sentir o rei que a seduziu e dela desfrutou os melhores momentos de prazer.

Dá esse gostinho pra ele, vai?! Você poderá se surpreender.


Clique aqui e mande sua sugestão sobre esta coluna

Jussara Hadadd é terapeuta holística,
especializada em sexualidade
Saiba mais, clicando aqui!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.