SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - Uma menina diagnosticada com câncer escreveu uma carta para o Papai Noel pedindo para voltar a ter cabelo após a cura da doença. A família da criança descobriu o câncer em janeiro deste ano.

A escocesa Macy, 4, está fazendo quimioterapia decorrente de uma leucemia linfoblástica aguda. Ela perdeu os cabelos loiros em razão da agressividade da doença e dos fortes medicamentos aplicados pelos médicos. Macy está sendo tratada no Royal Hospital for Children and Young People, em Edimburgo.

Como falta quase um pouco mais de um mês para o Natal, a pequena decidiu fazer um pedido especial ao Papai Noel. Em uma carta ao velhinho, ela manifestou o seu desejo de cura e que seu cabelo volte a crescer igual ao de sua mãe. No final do texto, Macy também aproveitou para pedir bobbies de cabelo e uma escova.

Em entrevista ao jornal britânico Daily Record, a mãe de Macy, Gillian, ficou emocionada com a carta escrita pela filha. Segundo ela, a menina sofre bastante com os sintomas da leucemia, mas o fator que mais a abalou foi a queda de cabelos.

"Devido ao tratamento quimioterápico de Macy, ela perdeu seu lindo cabelo loiro. Seu desejo este ano é que seu cabelo volte a crescer o suficiente para que ela possa prendê-lo em um rabo de cavalo igual ao meu".

Gillian decidiu divulgar a carta de Macy nas redes sociais como uma forma de espalhar esperança para outras pessoas que também enfrentam a doença.

"Também esperamos que ela se sinta um pouco melhor, pois no Natal do ano passado ela estava muito mal. Ela tinha resfriados frequentes antes de seu diagnóstico e simplesmente não estava com vontade de brincar com nenhum de seus brinquedos", declarou.

Por causa da repercussão do relato da pequena, a direção do Hospital Infantil de Caridade de Edimburgo (ECHC, na sigla em inglês) divulgou a carta em sua campanha anual "Redirected Letters to Santa" ("Cartas redirecionadas para o Papai Noel", em tradução livre).

O projeto de caridade pede às pessoas que façam doações para dar assistências às famílias que enfrentam câncer e outras graves doenças e que passarão o Natal em internação hospitalar.

De acordo com Gillian, a campanha tem animado Macy durante o tratamento contra a leucemia, especialmente por ela compreender que não está sozinha nesta batalha, pois pessoas de diferentes localidades estão torcendo por sua recuperação.

"Isso realmente tornou nossa jornada hospitalar um pouco mais fácil e somos muito gratos a todos os que estiveram ao nosso lado durante os momentos mais difíceis".

Pippa Johnston, diretora do ECHC, também explicou a importância desta ação para o estímulo aos pacientes, principalmente durante o Natal, quando alguns deles ficam longe da família, internados nos hospitais.

"A realidade é que algumas crianças e jovens precisam ficar no hospital no Natal, então o que deveria ser um momento de magia e risadas se torna um momento de preocupação, para eles e suas famílias", disse. "Embora não possamos acabar com a dor deles, podemos proporcionar um pouco de felicidade. Trabalhamos arduamente para garantir que nenhuma criança ou jovem perca a alegria da época festiva", completou.