Aprenda o que é e como aplicar a estratégia de gestão horizontal

Nome do Colunista Lorena Fontainha 29/12/2018

Trabalhar em uma empresa, ser chefiado por vários gerentes. Esse era um panorama extremamente recorrente durante muitos anos. O tempo e as necessidades do mercado levaram grandes empresas como a Tesla Motors a repensar a cultura de ter uma gestão empresarial baseada na hierarquia.

O conceito de Gestão Horizontal vem exatamente para quebrar essa barreira.

Gestão Horizontal x Gestão Vertical

A diferença entre os dois tipos de organização se encontra exatamente no nível de autonomia do funcionário.

Se na Gestão Vertical temos uma organização com vários níveis administrativos, o modelo de Gestão Horizontal procura facilitar a comunicação interna e desburocratizar os processos, gerando uma maior liberdade.

As gigantes inovadoras

Não há como falar em novos estilos de gestão sem pensar em duas gigantes: Google e Netflix.

Ambas empresas compartilham muito mais do que o país de fundação. Elas possuem uma gestão maleável, que capta talentos e consegue mantê-los por muito tempo em sua empresa.

No Google, o regime flexível de trabalho permite que o funcionário tenha uma comunicação livre dentro da empresa, independentemente do cargo exercido e que todos os colaboradores se sintam confortáveis e motivados dentro do seu ambiente de trabalho.

O grande objetivo por trás desse método organizacional é o desenvolvimento do senso de responsabilidade. A produtividade continua a ser cobrada, mas passa a ser não mais uma obrigação extenuante, mas sim uma consequência de um trabalho realizado por membros satisfeitos.

Um dos halls da sede do Google da área responsável pelo YouTube

Descrição: Um dos halls da sede do Google da área responsável pelo YouTube

A Netflix é uma das empresas mais cotadas do momento. Para motivar sua equipe para a tão desejada "alta perfomace" ela investe em benefícios e bonificações para seus funcionários.

Assim como no Google, o senso de responsabilidade é um dos fatores mais prezados entre os funcionários. Cada empregado recebe bonificações para gastar com entretenimentos, porém a empresa conta com a criticidade de cada um em sua política de gastos : " Aja no melhor interesse da Netflix".

Descrição:  Um dos escritórios da sede da Netflix no vale do Silício
A cultura de autonomia adotada por essas empresas serve como um exemplo prático de que um controle rígido nem sempre é a resposta correta para impulsionar os resultados obtidos.

Em ambos casos, o modelo de gestão horizontal é adotado de forma parcial, porém bem sucedida, pois segue seu principal princípio: de que os trabalhadores desempenham melhor suas tarefas ao serem também envolvidos e considerados nas decisões finais da empresa.

Lorena Fontainha é Assessora de Vice Presidência, membra do Núcleo de Imprensa e Conteúdo da Acesso Comunicação Jr.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.