• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios

    Gestão de negócios em tempos de pandemia. E agora, o que fazer?


    Leandro Bitencourt Albino 23/03/2020

    Temos vivido momentos difíceis em nossas vidas devido ao período de medo e insegurança que estamos passando. E com as empresas não poderia ser diferente. Os impactos são imediatos. Diversas regiões do país já emitiram decretos de restrição às atividades, como a determinação de fechamento de bares, academias e estabelecimentos de beleza. Em outras já se sente uma grande queda no consumo.

    O Governo vem anunciando uma série de medidas para reduzir o impacto da pandemia para as empresas, algumas delas já editadas e outras dependendo de publicação e de regulamentação. Dentre as medidas anunciadas destacam-se:

    • Postergação do prazo de pagamento do FGTS por 3 meses (publicada através da MP 927 de 22/03/2020).
    • Postergação do prazo de pagamento do Simples Nacional por 3 meses (publicada através da Resolução do Comitê Gestor do Simples Nacional nº 152/2020).
    • Redução de 50% nas contribuições do Sistema S por 3 meses (Sistema S é o nome pelo qual ficou convencionado de se chamar o conjunto de nove instituições de interesse de categorias profissionais, estabelecidas pela Constituição brasileira, tais como SESI, SINAI e SESC).
    • Simplificação das exigências para contratação de crédito e dispensa de documentação (CND) para renegociação de créditos.
    • Facilitação do desembaraço de insumos e matérias-primas industriais.
    • Pagamento dos primeiros 15 dias de afastamento pelo governo para os trabalhadores que contraírem o coronavírus.
    • Redução proporcional de salários e da jornada de trabalho em até 50%, sendo pago pelo governo auxílio de 25% do valor a que o empregado teria direito mensalmente caso requeresse o benefício do seguro-desemprego.
    • A possibilidade de antecipação de férias individuais, concessão de férias coletivas. O aproveitamento da antecipação de feriados e utilização de banco de horas para compensação dos dias em que os trabalhadores ficarem parados (publicada através da MP 927 de 22/03/2020).

    Mas o que devemos fazer para enfrentar este grande desafio? Quais ações devemos tomar em nossas empresas neste momento?

    Primeiramente é essencial que se sigam todas as determinações e instruções feitas pelo governo e pelos órgãos de saúde, para que possamos frear o crescimento da doença e preservar nossos entes queridos, colaboradores e toda a sociedade. Em seguida, relacionamos abaixo algumas medidas emergenciais que poderão ajudar a sua empresa a passar por este período turbulento:

    • Acompanhar todas as alterações legais relacionadas às áreas fiscal e trabalhista em função das medidas emergenciais anunciadas e de outras que possam auxiliar a empresa neste momento.
    • Verificar os colaboradores que podem trabalhar home office (de casa).
    • Verificar os trabalhadores com férias vencidas e estudar a possibilidade de coloca-los imediatamente de férias.
    • Caso a empresa possa parar totalmente suas atividades, verificar a possibilidade de concessão de férias coletivas.
    • Alterar turnos, horários e operações da empresa para evitar aglomerações ou grande fluxo de pessoas em um mesmo local.
    • Alterar horários de almoço e café pelo mesmo motivo.
    • Estudar e planejar alterações de jornada de trabalho à medida em que forem sendo publicadas as medidas anunciadas pelo governo.
    • Verificar a possibilidade de postergação do pagamento de dívidas bancárias e/ou financiamentos. Vários bancos anunciaram a prorrogação de prazos e a suspensão momentânea de cobrança de dívidas.
    • Analisar e planejar o fluxo de compra de insumos pelos próximos 90 dias, adequando à demanda sem deixar de levar em consideração a possibilidade de maior prazo de entrega ou escassez.
    • Projetar o fluxo de recebimentos e pagamentos pelos próximos 90 dias com base em cenários de queda de faturamento e demanda.
    • Implementar ações de redução de custos nas áreas administrativa, operacional e tributária.

    Assim como os momentos bons não são eternos, os momentos ruins também passam. Tudo passa! E certamente passaremos por este período de maior insegurança em poucos meses. No entanto, já a economia levará um longo período para se recuperar. Desta forma, passado o período inicial e tomadas todas as medidas emergenciais, o empresário agora fora da correria do dia a dia tem a oportunidade de se dedicar a pensar no negócio e nas estratégias da empresa, buscando reduzir os efeitos negativos pós-pandemia e aproveitar todas as oportunidades que venham a surgir. Para tanto deverá se dedicar aos seguintes temas:

    • Planejamento estratégico: analisar as estratégias da empresa, produtos, clientes, fornecedores, mercado e marketing.
    • Benefícios e incentivos fiscais: buscar por regimes especiais de tributação e incentivos fiscais aplicáveis à empresa, bem como realizar uma revisão geral de todos os créditos passíveis de aproveitamento, visando a otimização dos créditos e a redução imediata da carga tributária.
    • Desenvolvimento operacional: analisar as operações, controle de processos e atividades, visando sua adequação e otimização.

    Esse é um momento de ter calma e seguir em frente apesar das enormes dificuldades.

    Um abraço e até a próxima!

    Leandro Bitencourt Albino é graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade Machado Sobrinho, possui experiência de duas décadas nas áreas fiscal e contábil, e mais de 12 anos em consultoria empresarial, atua como palestrante e instrutor em cursos in company. .

    Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.