Roberto Monti Roberto Monti 05/03/2008

Marketing e Recursos Humanos O que o Marketing pode fazer pelos Recursos Humanos da Empresa

Visão

Palvras espalhadas pelo desenho: RH,
Marketing, Parceria Dedicar-se ao desenvolvimento ou qualificação de pessoas tem sido o maior desafio dos gestores, independente da área de responsabilidade. No mundo globalizado a competitividade e a redução de níveis hierárquicos exigem a revisão do programa de especialização com a finalidade de agregar valor no menor prazo possível.

As pessoas deixaram de ser percebidas como simples recursos humanos para serem consideradas como seres inteligentes, conhecimentos, habilidades, percepções, desejos, personalidades e visões. Pesquisas demonstram que as empresas que mais investiram na gestão de pessoas são as que melhores resultados obtiveram para seus acionistas.

A importância do clima organizacional relacionado com o melhor desempenho de aptidões no trabalho, valorizar o espírito de equipe, a delegação e o feedback além, é claro, do clima de confiança reinante em toda a organização.

Objetivo

Este, com certeza, é o sonho de qualquer executivo ao visualizar a estrutura da empresa. Buscar incentivos monetários ou não para os funcionários da empresa, que resolvam os problemas de rotatividade ou afetem a produtividade.

O papel do Gestor de RH

Além de necessitar motivar os funcionários, os gestores de RH devem conquistar a confiança e a adesão de outros executivos de mesmo nível o que muitas vezes não é uma tarefa fácil. Os pilares que asseguram o êxito de uma empresa são os Clientes, os Fornecedores e os Colaboradores - todos os esforços feitos para melhorar o desempenho e o relacionamento entre as partes será benéfico para a empresa. Uma organização orientada para o serviço e satisfação do Cliente, uma saudável relação e imagem perante os fornecedores e uma equipe disposta para o aprendizado contínuo levam a empresa a buscar novos objetivos.

O gestor de RH deve conhecer as necessidades do Plano Estratégico e buscar, quando necessário no mercado profissionais que auxiliem a empresa atingir os resultados esperados, pois, ninguém poderá ser bem sucedido sem qualidade no atendimento, valorização da marca e funcionários dedicados.

Todos devem estar orientados para o Cliente que sabe, graças ao poder da comunicação, que muitos produtos são fabricados por terceiros em várias partes do mundo e devem apresentar o padrão de qualidade. Se os produtos são iguais, com o mesmo preço, mesmo desempenho, o que os diferenciará? É claro que este fator de vital importância é o ser humano que fabrica, que vende, que dá suporte técnico, que demonstra este produto para o Cliente.

É necessário atrair e manter talentos, é necessário manter um senso de identidade da organização e promover as mudanças necessárias para atingir os objetivos propostos. Isto exige uma organização bem estruturada e ágil e um conjunto de competências e habilidades dos funcionários passando a empresa em busca de quem é bom e não apenas de mais um empregado.

O futuro das vendas vai de encontro às necessidades dos clientes. A natureza da venda está se transformando tão rapidamente, que não vamos considerar mais a palavra "venda" como sendo importante e sim, a palavra "parceria" será considerada fundamental neste relacionamento.

Conforme afirma Tom McDonald, "certifique-se de que o seu produto ou serviço é acompanhado de um plano que não só ajude o seu cliente, como também faça com que ele fique mais ansioso para comprar, do que você para vender". O trabalho não perdeu o seu valor como fator de inclusão social, mas as mudanças tecnológicas e de produtividade causaram incertezas para alguns criaram oportunidades para outros.

RH deve agregar valor no que se refere à eficiência organizacional e com certeza o maior deles é a importância do capital humano. O planejamento estratégico das organizações está se valendo de mais e maiores contribuições e participações da área de RH ao determinar a definição da mão-de-obra necessária para o caminho estratégico.

O sucesso de uma empresa depende da interação de processos, tecnologia e recursos humanos e da sinergia entre eles. Evidentemente tecnologia e processos mostraram rápida evolução faltando agora, a evolução com rapidez, da área de RH na implantação e aplicação de ferramentas para que a empresa possa trabalhar harmonicamente. Resumidamente podemos dizer que as estratégias só poderão ser executadas com sucesso se a organização tiver o correto mix de pessoas & sistemas.

Pesquisa realizada pela Marshall School of Business da University of South Carolina (USA) revelou que "muitos gestores não são receptivos à colaboração do RH nas questões referentes à estratégia e ao desenho organizacional; assim, pode haver alguma resistência. Os executivos de RH devem usar o artifício dos vendedores de porta em porta: colocam o pé para evitar que lhes fechem a porta" - Revista HSM nº 58 pág. 73 no artigo Departamento de Eficiência Organizacional.

O que esperar

Deseja-se um esforço integral que crie um vínculo entre todos os elementos- chaves da empresa para a melhoria contínua. As estratégias para estimular a criatividade e a participação devem ser várias e encaradas como uma aplicação e resgate futuro, investindo em talento, na capacitação e desenvolvimento que resultará no aumento da rentabilidade e perpetuidade da organização.

É importante desenvolver pessoas nas diversas áreas que sejam líderes multidisciplinares, com a capacidade de aprender, de adaptação às mudanças permanentes, capacidade de negociação, saber trabalhar em equipe e respeitar as críticas e opiniões.

Considere os seguintes tópicos na elaboração do plano de desenvolvimento de pessoal:

Tópico Ação requerida
1 - Remuneração Estabeleça porcentagens de aumento com base no desempenho e comunique para toda equipe;
2 - Condições de trabalho Boas condições de trabalho, de segurança, física e de comunicação;
3 - Execução das tarefas Melhorias contínuas e premiação por idéias inovadoras;
4 - Relacionamento interpessoal Incentive e fortaleça as relações nas equipes;
5 - Capacidade de liderança Desenvolver sentido de liderança nos responsáveis viabilizando as mudanças e aprendizado contínuo;
6 - Reconhecimento Reconheça os erros, critique construtivamente e motive-os a seguir;
7 - Desenvolvimento pessoal Facilite e incentive a adoção de novos conhecimentos como forma de desenvolver o pessoal envolvido;
8 - Vida privada Incentive a vida familiar, a prática de esportes, a vida e alimentação saudável.

Empresário: reflita neste assunto e veja se a sua empresa está conseguindo atingir as metas estabelecidas no Plano de Estratégico que engloba todas as necessidades internas e externas além de proporcionar os resultados esperados pelos acionistas, pela direção, pelos colaboradores, visando longa permanência no mercado.


Clique aqui e mande sua pergunta,
esclareça sua dúvida com relação
aos assuntos de marketing com
o consultor Roberto Monti.

Roberto Monti é consultor de Marketing.
Co-autor do livro (IN)Fidelidade , Uma Questão de Qualidade
Clientes Sonham, Empresas Concretizam.
Editora Virgo - São Paulo, 09/2000


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.