Roberto Monti Roberto Monti 6/12/2010


Planejar é ter sucesso - Você realizará seus sonhos, metas, planos e objetivos


"Estabelece planos através de conselhos, depois com estratégia faze a guerra"
- Provérbios 20:18

Papéis de planejamentoPlanejar significa definir objetivos ou metas para o desempenho da organização no futuro e decidir sobre as tarefas, as ações e o uso dos recursos necessários para a sua realização. Podemos considerar os seguintes aspectos fundamentais do planejamento:

a) Para onde a empresa quer ir = estabeleça objetivos ou metas;
b) Como chegar lá = defina cursos de ação;
c) Recursos humanos, materiais, financeiros, de produção, etc = determinar as necessidades de recursos;
d) Como medir = estabeleça pontos de controle (essenciais para o acompanhamento dos resultados).
Plano é o conjunto de medidas prioritárias e suficientes para se atingir as metas ou objetivos, sendo um documento formal do planejamento, consultado o tempo todo para monitorar o que acontece e verificar se o planejamento atingiu o objetivo. O pior problema de quem não planeja e nem controla é a confusão, tempo gasto inutilmente e a fragilidade dos dados. Você já pensou o que seria de um piloto de avião sem um plano de voo?

O planejamento não é uma camisa de força e sim uma antecipação de futuros possíveis e é a principal arma de sinergia na empresa.

"Estamos vivendo uma realidade na qual ser melhor não basta; uma realidade na qual a empresa incapaz de imaginar o futuro não estará lá para desfrutar dele" – Hamel e Prahalad.

Atualmente o mercado não aceita amadorismo e mesmo as pequenas empresas aprenderam a planejar como forma de não só garantir seu lugar no mercado como suavizar as falhas e reduzir erros a níveis suportáveis. São muitos os planejamentos que podemos utilizar e abaixo está o resumo de cada um:

1. Plano de ação = iniciando com as necessidades evidenciadas, estabelecemos os objetivos, definimos os prazos e as tarefas, estabelecemos um cronograma, definimos os controles e as responsabilidades, estabelecemos os pontos de controle e como avaliá-los com a finalidade de acompanhar os atendimentos das necessidades levantadas.

2. Plano de projetos = partindo de necessidades singulares e únicas, definimos o projeto não rotineiro, definimos as tarefas e o trabalho, estabelecemos o caminho crítico, definimos responsabilidades, prazos e custos, pontos de controle e definimos sobre o fechamento para avaliar se as necessidades iniciais estão sendo ou foram atendidas.

3. Plano de negócios ou business plan = iniciamos com a análise do setor com a ferramenta SWOT, segmentamos o mercado e definimos o mercado-alvo, definimos as operações necessárias, definimos as vendas (nosso foco), definimos os custos e os controles necessários e as demonstrações financeiras exigidas (fluxo de caixa, retorno dos investimentos e dos resultados propostos no plano) e fechamos com o resumo executivo.

4. Plano estratégico = partindo de como a empresa está hoje é definida uma visão estratégica consubstanciada pela missão da empresa de como ela deverá estar no futuro, atendendo aos princípios e valores dos acionistas e controladores; faça a avaliação e o feedback da situação com as correções devidas.

5. Plano de contingência = definem as respostas da empresa para situações externas que fogem ao controle dela – por exemplo, mudanças na economia do país influenciando os projetos da empresa no mercado local ou internacional – que são elaboradas prevendo os piores cenários possíveis. Defina os controles e as avaliações necessárias visando o equilíbrio da empresa no mercado.

Empresário/Executivo: Você já tem pronto e revisado o seu planejamento para 2011?



Roberto Monti é consultor de Marketing. Co-autor do livro (IN)Fidelidade, Uma Questão de Qualidade Clientes Sonham, Empresas Concretizam.
Editora Virgo - São Paulo, 09/2000.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.