Meses movimentados para o comércio
Julho e agosto são os meses com eventos mais atrativos.
Mas, a intenção é reunir também visitantes para JF em outras épocas

Sílvia Zoche
17/06/04

O presidente do Juiz de Fora Convention Visitors & Bureau, Marco Antonio Menezes Coelho da Silva, diz que é importante os empresários da cidade apoiarem eventos. Ouça!

Ouça! Leia!

Ilustração Vai chegando o meio do ano e a cidade começa a movimentar. São grandes eventos promovidos em Juiz de Fora no 2º semestre. Se antigamente só ouvíamos falar no Miss Gay, agora existem outros movimentos que atraem turistas.

De acordo com o calendário do Convention & Visitors Bureau, feiras, seminários, congressos, eventos esportivos, festivais, concursos aumentam cerca de 25% a cada ano. A executiva do Convention, Simone Lima (foto abaixo), diz que o segundo semestre tem mais procura de organizadores de eventos. "Julho e agosto, por exemplo, são meses excelentes para a cidade", diz.

Simone Lima

Alguns hotéis da cidade já sentem o movimento desde janeiro. No Victory Business Hotel, a reserva para o "XXI Congresso Nacional de Laticínios" e para "XI Copa Brasil Master de Natação" - que acontecem em julho - já foram feitas desde janeiro de 2004.

"Para a Copa Master ainda tem vaga, mas 90% das vagas para a Feira de Laticínios estão reservadas", diz a coordenadora de eventos do Hotel, Vanilda Canttarino.

Marilene Rachel Segundo a assessora de comunicação do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Juiz de Fora, Marilene Rachel (foto ao lado), a feira de laticínio realmente atrai um público muito bom.

"São pessoas de nível intelectual mais alto, com vários interesses. E mais: Juiz de Fora é a única cidade que sedia este evento", conclui. A estimativa de público é de 16 mil pessoas, segundo cálculos do Juiz de Fora Conventions Visitors Bureau.

Reservas
Os hotéis da cidade ficam mais movimentados nos períodos de julho e agosto, segundo a assessora Marilene. Ela exemplifica com o JF Folia, que acontece no mês de outubro. "JF Folia é um evento que não rende para os hotéis. Normalmente, as pessoas ficam na casa de parente ou de amigo".

O gerente do Solar Flat, Luiz Mario Abizaid, diz que pelo hotel ter somente três anos na cidade não sentiu um público fiel. "São feitas reservas, mas não são as mesmas pessoas que se hospedam", diz.

Foto: ACESSA.com Segundo Marilene, os hotéis só fazem reserva com antecedência para clientes que sempre comparecem aos eventos. No Serrano Hotel, a procura por quartos para o Miss Gay acontece mais no fim de maio e início de julho.

Nos hotéis entrevistados pela equipe do ACESSA.com, a maioria respondeu que as pessoas estão ligando interessadas em vir para o Miss Gay, mas por enquanto é somente pesquisa de preço. "É um evento que agita a cidade", lembra Marilene.

Veja o guia de hotéis, restaurantes, bares e clubes da ACESSA.com

Calendário
Para Simone, o Convention da cidade ainda é muito novo para tantos eventos que se promovem. "Organizamos o calendário do ano inteiro e acreditamos que Juiz de Fora está mais competitiva no momento de organizar um evento. As informações são mais confiáveis", diz.

Mesmo assim, ela acredita que ainda é preciso muita divulgação da capacidade de Juiz de Fora sediar eventos. "Teve o caso de um evento regional que só não foi nacional, porque o organizador não sabia que a cidade tem estrutura para receber muitos turistas", avalia Simone.

Ela lembra ainda que Juiz de Fora tem a vantagem de ser uma cidade médio porte, "mas com tudo que uma grande cidade pode oferecer e ainda com a vantagem de um trânsito ordeiro, boa segurança e bem localizada entre grandes centros", diz Simone.

Como o Convention tem cerca de seis anos de existência, Marilene fala que mudar os hábitos rapidamente é complicado. "Organizar eventos nos moldes de um Convention é mais complicado. Os hotéis são passados de pai para filho. Um ou dois são multinacionais. Eu vejo que todos estão buscando a modernização. E isso é bom", argumenta.

Veja alguns grandes eventos que agitam a cidade em julho

Ilustração Divulgação Ilustração

O Convention organiza um calendário justamente para que as pessoas tenham acesso ao movimento que tem a cidade. Além disso, existe um controle anual do resultado do evento, em que pedem um feedback dos donos de hotéis. O presidente do Convention, Marco Antonio Menezes Coelho da Silva, diz que é preciso acabar com a sazonalidade dos eventos. "É preciso movimentar a estrutura da cidade o ano todo, apoiando as pessoas que querem trazer eventos para Juiz de Fora", diz.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.