Marcas nacionais investem em Juiz de Fora
Cidade se firma como centro polarizador da região, com um comércio bem desenvolvido, onde se encontra de tudo: preço, variedade e qualidade

Djenane Pimentel
26/10/04

Gustavo Magalhães cita alguns requisitos que uma empresa utiliza para investir numa determinada região. Paulo César Filgueiras comenta sobre o consumidor juizforano.

Ouça! Ouça!

Ilustração Com a chegada de um novo shopping, Juiz de Fora está se firmando, cada vez mais, como centro polarizador da região, concentrando educação, saúde, prestação de serviços públicos e privados, além de uma boa praça comercial.

O Shopping Independência vai contar com uma área total de 75 mil metros quadrados, quatro lojas âncoras, 200 lojas satélites, praça de alimentação, cinco salas de cinema Multiplex e 1.200 vagas para estacionamento. Segundo a assessoria, o centro de compras deverá atrair 2,1 milhões de pessoas para a cidade. A expectativa é de que as obras devam ser inauguradas no início de 2006.

O Shopping Independência vai também reforçar a vinda de marcas nacionais para Juiz de Fora. Mais três nomes de peso vão completar a lista já existente. As lojas Leader Magazine, C & A, Casa & Vídeo, e mais uma filial das Americanas escolheram Juiz de Fora para sede. Hoje, a cidade também conta com Mc Donald's, Bob's, Rei do Mate, Jacques Janine, Victor Hugo, Equus, Carrefour, Magazine Luiza, Casas Bahia, Magazine Demanos, Hering, O Boticário, Vita Derm, Cantão, Redley, Arezzo, Mellissa, Imaginarium... e muitas outras marcas famosas de renome nacional e internacional.

Gustavo Magalhães "Para a cidade, isto é realmente ótimo. Juiz de Fora exerce uma influência muito forte sobre os municípios limítrofes e alguns até mais distantes. Atuamos com facilidade num raio de 200 km, porque a cidade oferece uma estrutura de saúde e educação muito boa, um comércio bem desenvolvido, além de outros serviços públicos e privados", afirma o técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Gustavo de Freitas Magalhães.

Segundo ele, as grandes empresas e marcas utilizam requisitos básicos para investir numa determinada região, como:


  • A população. Quantas pessoas podem ser atendidas; se aquele município é polarizador; turístico, etc...

  • A renda média da população. É ela que vai vai direcionar o tipo de produto ou serviço que vai ser ofertado.

  • Os hábitos de consumo também são importantes. Existem certas culturas, mais tradicionalistas, em que certos produtos não se encaixam e a empresa tem que desenvolver um trabalho forte de marketing em cima da marca, o que pode acarretar muita despesa. Com a pesquisa, pode-se, então, optar por outras regiões.

  • O histórico da região, em que é analisado o crescimento do município nos últimos anos e seu potencial de crescimento futuro. Assim, a empresa vai saber se é viável a instalação do determinado empreendimento na região, ou não.
  • O que chama a atenção para Juiz de Fora
    De acordo com o proprietário das lojas Mellissa e Free Surf, Paulo César de Almeida Filgueiras (foto abaixo), Juiz de Fora se encaixa perfeitamente nestes itens, principalmente por se destacar como uma cidade cheia de jovens estudantes, consumidores ávidos.

    Paulo César Filgueiras Com relação às marcas com que trabalha - Mellissa, Hang Loose, Rip Curl, Onbongo, Oakley, Quiksilver... - destaca que, apesar de serem famosas e direcionadas para o público A, elas fazem sucesso na cidade, pois a garotada curte e compra mesmo. "Juiz de Fora tem um público jovem que tem tudo a ver com este produto. A cidade também recebe muita informação e influência do Rio de Janeiro, e já se tornou a porta de entrada das grandes lojas para a Zona da Mata".

    Foto: ACESSA.com Como exemplo, Paulo César cita a marca Mellissa, que, na verdade, possui poucas lojas no Brasil, mas as usa como um outdoor para o calçado, em grandes centros.
    "A Mellissa também pode ser vendida em lojas multimarcas, mas uma loja própria nunca será instalada em qualquer cidade. Juiz de Fora foi escolhida por ter um grande público jovem, de muitos estudantes; pela influência e proximidade do Rio de Janeiro; e por estar sempre antenada com a moda", completa. "A loja da Mellissa em JF funciona como um outdoor da empresa na região".

    Foto: ACESSA.com A Imaginarium existe há três anos em Juiz de Fora. De acordo com o proprietário, Luis Fernando de Souza Fabri, para abrir a loja em JF foram feitas algumas exigências, como: ter uma população com mais de 500 mil habitantes; que o ponto da loja fosse, de preferência, em um bom shopping; além da avaliação do fluxo de pessoas no ponto determinado e de uma planilha de custos e faturamento.

    "Tudo foi avaliado pelos técnicos responsáveis, para só depois darem o aval", conta Luis Fernando. Segundo ele, tem valido a pena." O consumidor de Juiz de Fora é exigente e bem informado, e a loja, hoje, já conseguiu formar um boa clientela fixa", informa.

    Leia mais:

  • Franquias: novos negócios com menos riscos

    Conteúdo Recomendado

  • Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.