Olimpíadas não aquecem mercado em JF Comerciantes não receberam mercadorias com tema das Olimpíadas e juizforanos também não estão procurando


Priscila Magalhães
Repórter
11/08/2008

As lojas de artigos esportivos e as de produtos variados não estão registrando procura por objetos que costumam fazer parte da torcida pelo Brasil nas competições. A maioria delas sequer recebeu camisas, bolas e uniformes da seleção brasileira.

Entre as explicações dos lojistas estão a falta de produção na indústria e o horário da transmissão dos jogos, que não animou os juizforanos. "Tudo o que acontece no Japão e na China é ruim para nós e durante as Olimpíadas não é diferente", diz o gerente de uma loja de roupas esportivas Alaor Soares.

O gerente Almir Toledo, de uma outra loja, também não recebeu as roupas voltadas para os jogos e faz uma comparação com o Pan-Amerciano, realizado no Brasil no ano passado. "Para o Pan, tínhamos muita coisa e vendemos bem", explica.

O único produto voltado para as Olimpíadas que a loja está comercializando é uma bola de futebol com ideogramas chineses. "Mas não está tendo procura", completa. Uma prática observada pelo gerente é o fato de os torcedores usarem a camisa do time de futebol do coração na torcida para o Brasil nas Olimpíadas.

"Não sei se a indústria não produziu ou se não mandou o representante até à loja", diz o vendedor de uma outro estabelecimento, Pedro Marcelino. Além dessas duas possibilidades, ele ainda vê o horário dos jogos como um dificultador. "É sempre de madrugada. Assim não tem jeito", completa.

Foto de roupas do Brasil Foto de roupas do Brasil Foto de roupas do Brasil

Na loja onde a vendedora Aline de Souza Pires trabalha, há algumas camisas e casacos do Brasil em exposição na vitrine e nos cabides. Porém, ela confessa que as peças não chegaram para os jogos e ainda diz que não existe procura por parte dos juizforanos. "Quem costuma comprar são os estrangeiros que vêm à cidade", explica. E completa. "Colocamos na promoção e nem assim estamos vendendo".

A grande procura acontece durante a Copa do Mundo (confira o Especial Copa do Mundo 2006), quando a loja registra muito movimento e procura não só por camisas. "Vendemos de tudo: camisa, short, boné, jaqueta", diz.

As lojas de produtos variados, onde costuma-se encontrar bandeirinhas, apitos, cornetas e faixas para usar na torcida pelo Brasil nas competições, não têm nenhum desses objetos expostos. "Pode ser que tenha no estoque, mas não foram colocados nas prateleiras", diz a vendedora Paula Márcia. Na loja em que ela trabalha também não há procura.

Esperança na prática de esportes e na primavera

Se os objetos voltados para as Olimpíadas não estão no mercado, alguns comerciantes comemoram o aumento discreto na venda de roupas de ginástica para a prática de esportes variados. "Os jogos estimulam as pessoas a praticarem esporte. Sempre há aumento nas vendas nessa época", diz Alaor.

Foto de roupas de esporte Foto de roupas de esporte Foto de roupas de esporte

Pedro também percebeu um aumento nas vendas na semana passada, mas não soube dizer quanto. O vendedor não está otimista. "Não acredito que esse aumento vai seguir em frente". A esperança está na entrada da primavera. "Mas o tempo mais quente faz com que as pessoas procurem roupas mais leves para praticar esportes".

Conteúdo Recomendado