Comércio antecipa promoções devido à Copa do MundoEm dias de jogos do Brasil, a queda no volume de vendas chega a 30%, segundo informações do Sindicomércio

Aline Furtado
Repórter
29/6/2010

Mesmo com a recente chegada do inverno, no último dia 21 de junho, já é possível andar pelas ruas de Juiz de Fora e ver anúncios de promoções da coleção outono-inverno. As liquidações em época antecipada podem ser explicadas pela queda no volume de vendas provocada pela Copa do Mundo.

De acordo com o presidente do Sindicato do Comércio (Sindicomércio) de Juiz de Fora, Emerson Beloti, os dados revelam que em dias de jogos do Brasil, os comerciantes registram queda de aproximadamente 30% nos negócios, já que a movimentação dos consumidores é menor tanto nas ruas, quanto nos shoppings.

"Isto reflete a realidade da grande maioria dos lojistas, visto que apenas alguns, como é o caso daqueles que trabalham com artigos esportivos, lucram muito neste período." Beloti afirma que, embora não tenha o percentual de queda referente a todo o mês em que é realizado o campeonato mundial, as vendas caem significativamente durante o período.

Para garantir as vendas, muitos comerciantes já anunciam produtos em promoção. "Em dia de jogos do Brasil, vendemos quase 50% menos do que em dias normais", afirma a vendedora de uma loja de roupas, Andréa Lopes Araújo. "O jeito foi começar a liquidar, já que esta é uma forma de chamar atenção do consumidor e garantir nosso faturamento do mês." Segundo ela, nos dias em que a seleção entra em campo às 11h, o prejuízo não é tão grande quanto nos jogos realizados às 15h30.

Vitrine com liquidaçãoA opinião de Andréa é compartilhada pela gerente de uma loja de calçados, Ana Clara Garcia. "Como fechamos a loja, perdemos muito. Diante disso, resolvemos antecipar a época de promoções, que geralmente acontecem no mês de julho." Para a gerente de uma loja de artigos em couro, Aline Romana, a queda no volume de vendas pode ser explicada pelo fato de as pessoas estarem com as atenções voltadas para o futebol.

Segundo Beloti, o menor número de vendas em época de Copa do Mundo pode ser atribuído a dois motivos. Um seria os horários diferenciados nos dias de jogos do Brasil. O outro motivo seria a transformação das pessoas em torcedores. "É um evento que paralisa o país. A população não está centrada no comércio." Para ele, o setor amarga mais prejuízo que a indústria. "O que a indústria não produz no momento das partidas, será produzido mais adiante. Isso não ocorre no comércio, ou seja, não há como repor as vendas depois."

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.