Investimento em ouro oferece riscos devido à oscilação do metal

Metal tem sido bem procurado, segundo economista. O retorno da aplicação é algo que tem que ser pensado em termos de longo prazo

Jorge Júnior
Repórter
17/5/2012
ouro

Apesar de o ouro ser um bem durável, especialistas alertam que investir no metal não é um negócio com garantia de rentabilidade rápida. De acordo com o Banco do Brasil (BB), por ser o ouro um ativo de renda variável, cuja cotação em bolsa oscila conforme oferta e demanda, ele oferece riscos ao investidor, não havendo como afirmar se é ou não um bom investimento.

O professor da faculdade de Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e coordenador do Grupo de Conjuntura Economica (GCE) da instituição, Wilson Luiz Rotatori Corrêa, destaca que o retorno da aplicação é algo que deve ser pensado em termos de longo prazo. "A negociação do ouro deve ser feita por pessoas que entendam do assunto, porque se aumenta a oferta do metal, o preço oscila bastante", diz.

A avaliação, segundo recomenda o Banco do Brasil, deve ser feita pelo investidor, considerando todos os fatores que podem influenciar em sua decisão e seu perfil de investimento. Normalmente, existem dois tipos de investidores que procuram o ativo ouro: aplicadores de curto e de longo prazos. Investidores com perfil de longo prazo são aqueles que não retiram o ouro da custódia e permanecem posicionados.

Já para o curto prazo, Corrêa explica que o investidor tem que acompanhar o mercado, pois o metal nobre tem flutuação de preço. "Como o metal tem sido bem procurado nos últimos anos, o ouro tem funcionado como uma reserva de valor", afirma. Nos momentos em que a cotação oscila com mais estabilidade, é possível obter retornos mais expressivos em prazos mais curtos, porém sujeitos a riscos mais elevados.

Oscilação

O ouro é um ativo de renda variável, cuja cotação é determinada livremente pelo mercado, com base, preponderantemente, na oferta, na demanda do ativo e cotação do dólar. Por isso, é importante ressaltar que a rentabilidade obtida em períodos passados não é garantia de rentabilidade futura. Em 2011, a valorização do ouro atingiu aproximadamente 16%. O valor de fechamento do metal na BM&FBovespa em 18 de maio de 2012 foi de R$ 103 por grama. "O ouro é negociado nas principais bolsas do mercado e em torno do mundo, fazendo que o preço oscile bastante. Como é uma commodity [metal transacionado em bolsa], ele pode ser negociado em qualquer parte do mundo", diz

Segundo Corrêa, atualmente existe uma procura bem intensa nesse tipo de material. "Com essa incerteza que ronda a crise internacional, muitas pessoas procuram o ouro como uma forma de proteção." Corrêa diz, ainda, que o ouro é sempre procurado nos momentos de dúvidas, como também o dólar. "Isso já vem acontecendo desde a inclusão da crise americana, em 2008", afirma.

Como investir

Foto de anúncio de ouroO economista orienta que o ouro deve ser comprado em bancos e em corretoras, para que a pessoa tenha garantia. "Na verdade não se compra uma barra de ouro, mas um comprovante com certificado referente ao metal." Essa garantia é porque, geralmente, quem compra de cambistas, pode correr risco de não comprar o metal puro, mas com adulteração.

O BB também não recomenda a comercialização de ouro em forma diversa da negociação em mercado autorizado (bolsa de valores ou mercado de balcão autorizado). Estas negociações são realizadas com metal cuja autenticidade foi verificada por instituição fundidora reconhecida e credenciada pela BM&FBovespa. Qualquer negociação de forma diversa desta, pode oferecer riscos de aquisição de metal com teor diferente do reconhecido pelo mercado, impossibilitando sua negociação futura.

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.