Terça-feira, 22 de julho de 2008, atualizada às 18h13

Para driblar aumento no preço da carne, consumidores recorrem ao frango e ovos, mas valores destes produtos também estão em alta



Priscila Magalhães
Repórter

O açougue onde Wilton Lima é gerente estava cheio no fim da tarde deste terça-feira, 22 de julho, apesar do valor das carnes de boi e porco terem registrado aumento de 30% para o consumidor nos últimos dois meses.

Segundo ele, os juizforanos não têm deixado de consumir o produto, entretanto, levam menos para casa. É o que tem feito o estoquista Cristiano Egídio. Há cerca de dois meses, ele não compra a mesma quantidade de carne. "Minha família é grande e levo o suficiente para todo mundo, mas não tanto quanto antes do aumento", conta.

As carnes mais vendidas são as de segunda, como acém e o músculo. Mesmo tendo preço mais em conta, elas chegam a custar o dobro do preço do frango inteiro. Para driblar a alta de 30%, ele recorre aos ovos e ao frango, de preço inferior. Porém, segundo Wilton, uma ligeira alta no preço dos ovos e do frango têm sido registradas há uma semana. "Tive que abaixar o preço dos ovos para conseguir vender".

foto de carne foto de ovos foto de frango

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.