Quarta-feira, dia 13 de janeiro de 2009, às 14 h

Produção de leite fica prejudicada com as chuvas. Calor intenso também preocupa

Daniele Gruppi
Repórter
Madalena Fernandes
Revisão

A produção do leite da Zona da Mata ficou comprometida devido às chuvas intensas e constantes que atingiram a região. As estradas ficaram interditadas, dificultando o escoamento da safra.

Além dos efeitos sobre as estradas, o excesso de chuva deixou áreas de pastagens alagadas. Segundo o coordenador do Pró-Leite, Carlos Renato Forattini Schmitd, o animal deixa de ir ao pasto, o que prejudica a produção das vacas. "A ingestão de alimentos diminui e, consequentemente, o leite."

Renato conta que alguns caminhões não conseguiram chegar ao destino e produtores enfrentaram problemas com a falta de energia elétrica, fator que influencia na qualidade do leite. "Para se ter uma ideia, uma fazenda em Igrejinha produzia 1.200 litros por dia e caiu para 800. Com a trégua da chuva, está começando a voltar ao normal. A produção subiu para 1.050."

O calor também preocupa os produtores. Na última terça, 13 de janeiro, os termômetros marcaram 31 graus em Juiz de Fora. Foi o registro do dia mais quente desde o início do verão. "Em situações de muito calor os animais também deixam de se alimentar, prejudicando a produção."

O preço do leite para o produtor é, em média, R$ 0,65 e sai para o consumidor por R$ 1,40. Renato garante que os reflexos da queda de produção não serão sentidos pelos juizforanos. A produção de leite de nove cooperativas de janeiro a dezembro de 2008 foi 8.543.897 litros.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.