• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios
    Terça-feira, 1 de fevereiro de 2011, atualizada às 16h17

    Conta de água do juiz-forano ficará de 5,91% a 9,51% mais cara em abril

    Clecius Campos
    Repórter

    A conta de água do contribuinte juiz-forano vai ficar de 5,91% a 9,51% mais cara a partir de abril. A diferença entre as porcentagens ocorre porque a Companhia de Saneamento Municipal (Cesama) decidiu ajustar em 5,91% a tarifa dos imóveis residenciais que consumam até 10 m³ mensais e aumentar em 9,51% os imóveis das demais categorias — comercial, industrial e pública. Para os imóveis residenciais, mais um diferencial: aqueles que excederem o consumo dos 10 m³ mensais terão reajuste de 9,51% por metro cúbico excedido, de acordo com a tabela de escalonamento de cobrança da Cesama. O ajuste é de 1,6 a 5,2 pontos percentuais maior que o aplicado em abril de 2010.

    De acordo com o assessor de Planejamento e Controladoria da Cesama, Mário Araújo Porto Filho, os reajustes vão permitir que a empresa cubra suas despesas orçamentárias, aumentadas em 8,8% de 2010 para 2011. "Em vez de aplicar o realinhamento a todos os usuários de forma linear, optamos pelo aumento diferenciado. O ajuste fica então escalonado, conforme as faixas de consumo. O contribuinte residencial que consumir até 10 m³ terá o menor aumento, conforme o IPCA [Índice de Preços ao Consumidor Amplo], e o que exceder pagará 9,51% a mais, somente sobre o consumo a mais, de forma que terá um reajuste intermediário." Segundo Porto, dessa forma, o aumento nas residências não passará dos 9,51%. Mais de 88% das contas (181.367) são residenciais.

    Segundo informações da Cesama, 53% dos imóveis da cidade, abrigando 212 mil habitantes, estão enquadrados no consumo de 0 a 10 m³ mensais. Para as famílias com consumo mensal de até cinco mil litros de água, (19,8% do total), o aumento na conta de água representará no máximo R$ 0,71 no mês ou R$ 0,02 por dia. Já para as residências que consomem de seis a dez mil litros de água por mês (31,7% do total), o acréscimo máximo será de R$ 1,46 no mês ou R$ 0,05 por dia.

    Porto explica que o impacto no faturamento da empresa deve ser equivalente a 8,8% (R$ 8.715.522,50), seguindo o orçamento, no entanto, o montante a mais só deverá incrementar o caixa da Cesama a partir de maio. "Com o aumento da conta, o consumidor tende a retrair o consumo, para pagar menos. O consumo só deve ser normalizado a partir de maio." O faturamento da Cesama é utilizado no custeio da empresa, com pagamento de pessoal, manutenção da rede, despesas gerais e veículos, por exemplo, além de ser aplicado em investimentos.

    O assessor de Planejamento informa que, mesmo com o reajuste, a tarifa da Cesama continua abaixo da praticada por outras companhias de água e esgoto. Em comparação com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), a nova tarifa da Cesama ficará 53,07% mais barata para imóveis residenciais que consomem até 20 m³ mensais (veja quadro comparativo das tarifas).

    Faturamento da Cesama por categoria
    CategoriaFaturamento%
    Residencial R$ 72.021.908,66 72,72%
    Comercial R$ 18.520.485,31 18,7%
    Industrial R$ 3.595.153,03 3,63%
    Pública R$ 4.902.481,41 4,95%
    Total R$ 99.040.028,41 100%

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.