• Assinantes
  • Autenticação
  • Negócios
    Terça-feira, 23 de setembro de 2014, atualizada às 18h19

    Eletrodomésticos da linha branca têm queda de 5% nas vendas

    Eduardo Maia
    Repórter
    linha branca

    Eletrodomésticos da linha branca (fogões, refrigeradores e geladeiras) apresentaram uma queda de 5% nas vendas no primeiro semestre de 2014. O percentual é atribuído ao aumento da venda de televisores por ocasião da Copa do Mundo, realizada entre junho e julho deste ano.

    De acordo com o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), Lourival Kiçula, a expectativa é que as vendas atinjam o mesmo patamar do ano passado ou supere o total registrado.

    "A queda começa a ser observada a partir de março, as pessoas passaram a comprar mais televisores e a expectativa é que volte à crescer agora que terminou a Copa. É natural que tivéssemos essa queda. Acredito que agosto já tenha sido melhor e que até outubro consigamos equiparar as vendas de eletrodomésticos e televisores", explica.

    Segundo Kiçula, a venda de televisores atingiu uma boa margem, chegando a 16% no acumulado de janeiro a junho deste ano. Na visão do presidente da Eletros, não há um risco de queda brusca nas vendas dos aparelhos eletrônicos com a passagem da Copa do Mundo. "É um setor de muita tecnologia embarcada, sempre há modificações que fazem com que o consumidor tenha o anseio de trocar ou levar um novo produto para casa. Pode diminuir a velocidade, mas a expectativa é que seja positiva. No ano passado, foram 14.816 milhões de unidades vendidas e acredito que neste ano vamos superar os 15 mil", prevê.

    Inflação no teto da meta também pode ser um dos fatores

    Lourival aponta a inflação no teto da meta fixada pelo Governo (próximo a 6,5%) como um dos fatores para que as pessoas tenham deixado de adquirir novos equipamentos. "O consumidor chega ao varejista e se importa com o quanto ele pode pagar por mês. Alguns verificam o preço final do produto, as formas de pagamento e o que cabe no bolso dele. Se tem uma situação melhor, onde há um aumento do preço, isso é inversamente proporcional. Entendemos que o consumidor mudou. A expectativa é que a até outubro é que tenhamos a inversão da linha branca, no mínimo terminarmos empatados até o ano passado", estima.

    Dentro da expectativa do setor para equilibrar as vendas dos eletrodomésticos de linha branca, Kiçula fala que a medida é aguardar. "Estamos em permanente diálogo com o setor. Em junho, julho e agosto é sempre um momento de baixa para os produtores da linha branca. Acreditamos que a partir de setembro, outubro, já melhore. Ninguém pensa em fazer nada diferente, como por exemplo redução de salário ou trabalhadores", tranquiliza.

    O levantamento realizado pela Eletros é realizado junto aos associados e enviado a uma auditoria independente, a qual é responsável pela verificação dos dados e repassado novamente à instituição. Ao todo, são 32 empresas associadas, que representam marcas importantes dos segmentos de linha branca, áudio e vídeo (linha marrom) e linha de portáteis.

    O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,produtos-de-linha-branca-tiveram-queda-de-5-nas-vendas-imp-,1560846

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.