Miltinho Batera
Baterista do sexteto do J? Soares, e cidad?o honor?rio de Juiz de Fora, est? prestes a entrar para o Guiness Book

Ludmila Gusman
Editora
07/07/2005

Miltinho convida os internautas para assistir aos seus shows em Juiz de Fora e acompanh?-lo na televis?o. Clique ao lado!

Veja!

Super divertido e com um bom humor pra ningu?m botar defeito, Milton Ramos de Brito, natural de S?o Louren?o, no sul de Minas, ? juizforano de cora??o! "Sou cidad?o honor?rio de Juiz de Fora. Recebi a homenagem junto com o Ziraldo, quando completei 50 anos de carreira", diz orgulhoso.

Conhecido como Miltinho Batera, o m?sico, que comp?e o sexteto do Programa do J? Soares, veio para Juiz de Fora com oito meses de idade. "Na verdade, n?o vim, me trouxeram", brinca. E, at? os dez anos, morou perto da Pra?a da Esta??o, de onde traz muita saudade. "Eram ali que as escolas esquentavam os tamboris. Sinto falta daquela ?poca!".

Com as viagens entre Juiz de Fora e S?o Paulo, ele conta que vem, no m?nimo, duas vezes por m?s visitar a fam?lia e realizar os shows, na cidade, junto com o Trio que comp?e com o seu filho Leo Bruno (percussionista) e seu amigo Moacir Fonseca (tecladista). "Meu filho diz que quer seguir a carreira, mas hoje ele faz faculdade de administra??o", conta.

O Trio Miltinho Batera faz temporadas e apresenta?es em diversos locais. "?s vezes precisamos viajar com o J? para apresentar com o sexteto, mas cada um tem seu projeto pr?prio. O Tomate tem o dele, o Bira tamb?m e a gente gosta muito de apresentar com o nosso grupo", comenta.

Hoje, o talento de Miltinho est? prestes a ser reconhecido no Guiness Book como o baterista em atividade mais antigo atuando em televis?o. "N?o encontraram ningu?m no mundo com esta caracter?stica. Est?o estudando a aprova??o ainda", diz.

A carreira
"Tamb?m, pudera!" Sua carreira na TV ? de causar inveja! Miltinho participou da inaugura??o da antiga TV Industrial, com a Orquestra Aquarela e come?ou, em 1950, como m?sico bem antes de ser conhecido no Programa do J?.

S?o 55 anos de profiss?o e, nos ?ltimos 16 ? que ele participa do sexteto. "Fui o primeiro a compor o sexteto. No programa de estr?ia do J? eu j? estava l?", lembra.


O m?sico tamb?m integrou a orquestra J. Guedes, o conjunto Giordano Monass, a orquestra Waldyr Barros e fazia parte do conjunto meia-noite, um dos mais famosos de Minas Gerais nos anos 50. Ao sair de Juiz de Fora, em 1959, ele participou da TV Paulista e come?ou ali a tra?ar seu sucesso participando de programas de tv, r?dio, shows, orquestras, grupos musicais com artistas de renome internacional. Em seus trabalhos na TV acompanhou: Ray Conniff, Johny Rivers, Rick Wakeman, Buena Vista Social Club e muitos outros. "S?o tantos, que ? imposs?vel contar nestes 55 anos de carreira", comenta.

Ele tamb?m fez parte do grupo de m?sicos do programa S?lvio Santos, na antiga TVS. Mais tarde, Miltinho trabalha ao lado de ca?ulinha, no programa "Clube do bolinha", da Bandeirantes. Ainda ligado a programas de TV, o juizforano solidifica sua carreira no programa "J? Onze e Meia", do SBT, formando o Quinteto Onze e Meia. Em 2000, com a participa??o de mais um m?sico o grupo passa a se chamar Sexteto.

Workshops: o musical trainer
Miltinho foi tamb?m professor durante 14 anos na Universidade Livre de M?sica, em S?o Paulo. Atualmente, n?o leciona mais, mas sente-se orgulhoso dos alunos que seguiram a carreira. "Muitos deles v?o no Programa do J? e mexem comigo", diz.

N?o bastasse os compromissos com shows e grava?es, Miltinho ainda tem tempo de realizar workshops e diz ter inventado uma "nova profiss?o" a de "musical trainer". Ele realiza pequenos exerc?cios e toques para relaxar os m?sculos, coadjuvados com batidas, usando as m?os para melhorar a coordena??o motora e melhorar o desempenho e fun??o no trabalho. O workshop pode ser realizado em empresas. Ele ainda faz palestra, e oferece treinamentos para melhor capacita??o de m?sicos. "Pautei minha carreira em cultura, conhecimento, idoneidade e respeito", completa. Para saber mais sobre o m?sico, acesse: http://www.miltinho.mus.br