• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Insana Idade Misturas de ritmos e propostas de gravar um cd em breve

    Rita Couto
    Colaboração
    25/06/2005
    Criada em 2002, a banda Insana Idade começou apenas com Sassá (Marcelo Mendonça), na voz e violão, e o baterista Peagah (Pedro Henrique), na percussão.

    "Eu já conhecia o Sassá há algum tempo e decidimos tocar juntos nos bares da cidade. Mas, pouco depois, percebemos que éramos muito parecidos com o que já existia em Juiz de Fora e queríamos algo novo. Então, pensamos em colocar um contrabaixo. Ficou legal, mas ainda faltava alguma coisa", diz o baterista.

    Enquanto buscava uma identidade única, a Insana Idade ficou um tempo longe dos shows, mas a idéia de criar uma banda com um som bem trabalhado e diferente não morreu!

    Aos poucos, o grupo foi se reestruturando novamente ganhou um novo integrante, Cláudio, no baixo, e a peça que faltava: uma guitarra. Assim, há aproximadamente seis meses, a Insana Idade é formada por Sassá (voz e violão), André Valente (guitarra), Cláudio (baixo) e Peagah (voz e bateria) (foto ao lado).

    O grupo traz uma proposta diferenciada. "Misturamos muitos gêneros musicais e é quase impossível definir uma classificação certa na qual a Insana Idade se insira. É por isso que digo que somos essa versão energética do Clube da Esquina", brinca Peagah.

    Inovação de ritmos...
    No início, eles faziam covers das músicas tocadas nas rádios e dos artistas mais consagrados, como Legião Urbana. Com a nova proposta, a banda apresenta canções próprias e releituras bem trabalhadas dos sucessos nacionais, que quase sempre surpreendem o público.

    "Começamos a tocar a canção bem parecida com o que ela é originalmente, por exemplo, mais lenta. E no refrão, de repente, entra um pancadão de funk, que faz as pessoas até pararem de dançar e ficarem nos olhando. Depois volta a calmaria e, quando o refrão é tocado de novo, o público, já acostumado, gosta e acompanha", conta Pedro Henrique.

    Composições
    As letras das músicas autorais foram escritas há alguns anos por Pedro Henrique, que nem imaginava suas anotações cantadas nas noites de Juiz de Fora. "Eu passava por um período um pouco difícil e escrevia para me aliviar. Aí um dia o Sassá me mostrou uma melodia que tinha criado e, quando cheguei em casa, vi que eles combinavam perfeitamente", diz.

    "Mas não gostamos de pegar uma letra e moldá-la, adequar as palavras para que se encaixem no som. Nos nossos ensaios tocamos um pouco, como se fosse uma espécie de aquecimento e, depois, tentamos criar algo novo em que as partes da letra se adaptem naturalmente. Os pedaços que não ficam bons são tirados e podem ser aproveitados em outra ocasião", explica Pedro Henrique.

    Com muito talento e determinados a apresentar um trabalho único, a Insana Idade deve gravar um demo ao vivo com seis músicas, quatro autorais e duas releituras, em julho de 2005.

    Por que Insana Idade?

    O nome da banda foi criado quando ela era formada apenas por Peagah e Sassá. A inspiração veio do costume que os dois integrantes tem em usar trocadilhos.

    "Eu e o Sassá estávamos conversando, falando sobre a idade em que nos encontramos, que somos adultos, mas não temos dinheiro, essas coisas. Aí um de nós disse algo sobre tempos insanos e fomos brincando com isso até que surgiu Insana Idade", revela Peagah.

    *Rita Couto é estudante do terceiro período de Comunicação Social da UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.