SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil do Distrito Federal, que investiga o assassinato de ao menos sete pessoas de uma mesma família, encontrou dezenas de papéis com anotações e senhas de cartões bancários. Entre as anotações estava um bilhete usado pelos criminosos para atrair um casal e os filhos para uma chácara.

Segundo o delegado da 6ª DP, Ricardo Viana, responsável pela investigação, existem uma folha e um caderno com anotações dos nomes das vítimas, contas e senhas.

A equipe de investigação conseguiu apreender um bilhete endereçado a Thiago, marido da cabeleireira Elizamar Silva, 39, que foi encontrada carbonizada em um veículo junto com três filhos no último dia 13. Thiago está desaparecido.

A mensagem pede que ele vá até o local na companhia de Elizamar e das três crianças.

"Chefe, como está seu dia. Vou precisar de ajuda urgente. Thiago tem como vc vim na chácara que eu vou explicar o que [está] acontecendo. Se puder vim hoje com Liza e os meninos", traz o conteúdo do bilhete encontrado pela polícia.

Durante as diligências, diz a Polícia Civil, os investigadores tiveram acesso às imagens do circuito da casa que fica ao lado do cativeiro. No dia 14, imagens mostram o momento em que o veículo Renault/Scenic deixa o local com o Fiat/Siena. Posteriormente, esse último veículo foi localizado queimado em Unaí, Minas Gerais, com outros dois corpos -eles seriam da mãe e de uma irmã de Thiago.

As imagens do circuito de segurança do local mostram os dois veículos saindo de uma casa, à 1h15. Verifica-se que uma das lanternas do Siena está queimada.

Por volta, das 5h03, apenas o Scenic retorna. Cerca de 30 minutos depois, às 5h35, um homem trajando bermuda, camiseta, boné e chinelo sai do mesmo local de onde os veículos estavam.

A polícia já identificou um quarto suspeito, Carloman dos Santos Nogueira, 26, de participação no crime. Ele teria, segundo as investigações, relação próxima com outro envolvido.

Outros três suspeitos, de 56, 49 e 34 anos, já haviam sido detidos por policiais da 6ª Delegacia de Polícia Civil de Paranoá (DF). Os três ainda não apresentaram defensores, segundo a corporação.

O corpo do sogro de Elizamar, Marcos Antônio Lopes de Oliveira, foi encontrado na quarta-feira (18) enterrado na mesma casa onde foram encontrados os. Marcos era descrito por investigadores como um possível suspeito de cometimento dos assassinatos.

Outras três pessoas continuam desaparecidas, entre eles Thiago, marido de Elizamar e filho de Marcos Antonio. Também estão desaparecidas uma ex-mulher de Marcos Antonio e uma filha dele.