• Assinantes
  • Autenticação
  • Pelo Brasil
    Terça-feira, 19 de novembro de 2013, atualizada às 15h40

    Operação de combate à pedofilia prende dois suspeitos em Juiz de Fora

    operação

    Dois homens, de 21 e 44 anos, foram identificados pela Polícia Federal em Juiz de Fora como suspeitos de participarem de um esquema de compartilhamento de fotos e vídeos de crianças sendo abusadas sexualmente por adultos. Junto deles também foram recolhidos celulares, mídias, pen-drives e HDs.

    A detenção faz parte da Operação Glasnost, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta terça-feira, 19 de novembro. Foram expedidos cerca de 80 mandados de busca e apreensão, além de 20 medidas de condução coercitiva e pelo menos um mandado de prisão preventiva.

    Em nota, a Polícia Federal afirma que todo o material coletado será periciado, para que sejam identificados "abusadores e produtores de material pornográfico-infantil, servindo de base para novas investigações".

    A ação ocorre em 11 estados e envolve cerca de 400 policiais federais no Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Alagoas, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Bahia e Goiás.

    Entre os alvos da operação há pessoas de todas as idades e profissões, incluindo um policial militar, um oficial da Aeronáutica, vários professores, bem como um chefe de grupo de escoteiros. Os investigados compartilhavam fotos e vídeos de crianças, adolescentes e até de bebês, muitos deles sendo abusados sexualmente por adultos, e as enviavam para seus contatos no Brasil e no exterior.

    Investigação

    A investigação foi feita ao longo de dois anos e identificou quase uma centena de brasileiros envolvidos com a produção e o compartilhamento de imagens relacionadas à exploração sexual de crianças e adolescentes na internet. Em todos os casos em que foram identificados abusadores, foram tomadas providências imediatas, a fim de que os abusos fossem prontamente interrompidos.

    De acordo com a PF, além dos alvos da Operação Glasnost, mais de 200 suspeitos continuam sob investigação. Entre os suspeitos já foram identificados, até o momento, três abusadores sexuais.Um deles abusava sexualmente da própria filha, de apenas cinco anos de idade, e compartilhava as imagens destes abusos na internet com outros pedófilos ao redor do mundo.

    A equipe de policiais envolvidos na Operação Glasnost também identificou brasileiros residentes nos Estados Unidos. Eles estão sendo investigados com a colaboração da Agência Federal de Investigação dos Estados Unidos (FBI). O resultado final da operação, incluindo o número de pessoas presas em flagrante durante o cumprimento das medidas, deverá ser divulgado nesta terça-feira pela PF.

    Com informações da Agência Brasil

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.