Juiz de Fora - MG

Quarta-feira, 27 de janeiro de 2016, atualizada às 17h17

Barragem em Mariana tem novo vazamento

samarcoNa tarde desta quarta-feira, 27 de janeiro, parte da lama remanescente da barragem de Fundão, que rompeu em Mariana, em  novembro de 2015, vazou. A informação é da Defesa Civil do município.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros da região, parte de um dos diques, que foram construídos para conter o vazamento, rompeu. "Na tarde de hoje, ocorreu uma movimentação de parte da massa residual da Barragem de Fundão devido às fortes chuvas das últimas semanas. Como forma preventiva e seguindo o Plano de Emergência, os empregados, que trabalhavam próximo à área afetada, foram orientados a evacuar do local. O volume de deslocamento permanece entre a barragem de Fundão e Santarém, dentro das áreas da Samarco. Reforçamos, ainda, que as barragens continuam estáveis e são monitoradas 24 horas por dia", afirma a assessoria da mineradora.

O alerta amarelo foi acionado no município e funcionários da mineradora tiveram que evacuar o local. A Defesa Civil está na mineradora.

MPMG recomenda que atingidos pela tragédia de Mariana decidam sobre destinação de recursos arrecadados

A Prefeitura Municipal e a Arquidiocese de Mariana encaminharam ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) informações sobre o dinheiro arrecadado em prol das vítimas do rompimento da barragem de Fundão, da Samarco Mineração S.A., em novembro de 2015. Foram arrecadados, até o momento (extratos bancários de 21 de janeiro) quase R$ 1,9 milhões.

O MPMG recomendou à comissão gestora dos recursos e à Prefeitura Municipal de Mariana que os valores arrecadados sejam utilizados somente em benefício das vítimas; que o dinheiro não seja utilizado para executar ações, obras e medidas que sejam de responsabilidade das empresas Samarco, Vale e BHP; e que os próprios atingidos definam o uso e a destinação das doações.

No dia 30 de janeiro, em Mariana, haverá uma assembleia para decidir sobre o uso dos recursos arrecadados pela Prefeitura Municipal de Mariana. Sobre os recursos arrecadados pela Arquidiocese de Mariana, será realizada uma nova reunião entre MPMG, arquidiocese e atingidos para definir o uso das doações.

A Arquidiocese de Mariana criou uma comissão para gerir os recursos, juntamente com o arcebispo de Mariana e os párocos das comunidades atingidas pelo rompimento das barragens. Ficou definido que a aplicação dos fundos será definida após o fim das ações emergenciais de obrigação das empresas responsáveis pelas barragens.

Inquérito Civil

Segundo o promotor de Justiça Guilherme de Sá Meneghin, a instauração do Inquérito Civil foi uma ação preventiva, para evitar os desvios de recursos e, até o momento, não foi identificada nenhuma irregularidade. A Promotoria de Justiça de Mariana continuará agindo preventivamente, uma vez que, em outras tragédias no país, ocorreram desvios de doações, conforme amplamente divulgado pela mídia.

Informações sobre contas e valores

De acordo com a Promotoria de Justiça de Mariana, a Prefeitura informou a existência de três contas bancárias para receber doações em dinheiro. No total, foram doados cerca de R$ 1.025.000,00.

Já a Arquidiocese de Mariana apresentou extrato de movimentação bancária  informando que, no dia 21 de janeiro, havia na conta destinada às doações um valor correspondente a R$ 834.742,62.


Com informações do MP

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.