Terça-feira, 5 de dezembro de 2017, atualizada às XXhXX

Chuva mata duas pessoas em MG este mês; Defesa Civil investiga mais cinco casos

Da redação

Desde o início do período chuvoso em Minas Gerais, no começo de outubro, cinco pessoas morreram por causa dos temporais, duas delas nos primeiros quatro dias de dezembro. Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais, mais cinco pessoas podem ter morrido devido à forte chuva que atingiu o estado desde a noite do último domingo, 3 de dezembro.

Em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, um homem está desaparecido desde a noite de domingo após cair em uma enxurrada, próximo a Lagoa do Morro Alto. As buscas estão em andamento. Em Urucânia, na Zona da Mata, os bombeiros buscam duas crianças e uma mulher que teriam desaparecido na tarde de segunda-feira, 4, durante a chuva. Em São Pedro dos Ferros, também na Zona da Mata, o corpo de um idoso de 80 anos foi encontrado nesta segunda após uma chuva intensa e há suspeita de que tenha falecido em decorrência da chuva.

De acordo com o boletim da Defesa Civil de Minas, duas das cinco mortes registradas até agora por causa das chuvas foram confirmadas nesta segunda. Em Ribeirão das Neves, próximo a Belo Horizonte, uma vítima identificada apenas como Joanita, de aproximadamente 80 anos, teve sua casa alagada neste domingo, não conseguiu deixar o local e morreu afogada. Ela foi encontrada já sem vida pelos bombeiros e equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

No sábado, 2, a Polícia Militar de Perdizes, no Triângulo Mineiro, foi chamada para procurar um menino de 6 anos de havia caído em um bueiro e sido arrastado pela enxurrada A criança foi localizada sem vida a aproximadamente 300 metros do local onde caiu.

Sobrevoo

Nesta segunda-feira, os ministros da Integração Nacional, Helder Barbalho, e das Cidades, Alexandre Baldy, sobrevoaram a região metropolitana de Belo Horizonte para verificar o impacto das chuvas no município de Ribeirão das Neves, o mais afetado pelos temporais dos últimos dias. O município decretou situação de emergência na quinta-feira (30).

Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, 80 pessoas estão desalojadas e 12 estão desabrigadas em Ribeirão das Neves. Quatro casas foram destruídas e 181 danificadas, além de estragos em um hospital e quatro escolas municipais.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.