BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) falou, nesta sexta-feira (23), em botar um "ponto final" no que chamou de abusos de outro Poder, em uma referência velada ao Judiciário, alvo do chefe do Executivo.

A declaração ocorreu em um comício em Divinópolis (MG). Em seu discurso, Bolsonaro também atacou Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a quem chamou de ladrão, e disse que seus apoiadores são maioria no país. O primeiro turno das eleições ocorre em nove dias.

"O Brasil é um país livre. Vocês sabem que vocês estão tendo cada dia mais a sua liberdade ameaçada por outro poder, que não é o Poder Executivo. E nós sabemos que devemos botar um ponto final nesse abuso que existe por parte de outro Poder", disse.

Ele repetiu também uma frase que costuma dizer, que, se reeleito, "todos, sem exceção, jogarão dentro das quatro linhas da Constituição".

Pesquisa do Datafolha divulgada na noite de quinta-feira (22) mostra que o ex-presidente ampliou sua vantagem para 14 pontos, aumentando as chances de a disputa encerrar no primeiro turno.

Lula tem 47% das intenções de voto, contra 33% de Bolsonaro.