SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) - O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, faltou nesta terça-feira (22) à audiência na Câmara dos Deputados que o questionaria sobre suposta interferência da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) em uma investigação da PF (Polícia Federal) envolvendo Jair Renan, filho do presidente Jair Bolsonaro (PL). O general alegou problemas de saúde.

O UOL procurou o GSI para confirmar a causa da ausência na Câmara e para saber qual o problema de saúde enfrentado pelo ministro, mas ainda não obteve retorno.

A sessão foi solicitada pelo deputado Ivan Valente (PSOL-SP), após um integrante da Abin admitir que recebeu ordens para levantar informações sobre o inquérito para prevenir "riscos à imagem" do presidente. A informação consta em um relatório da PF, obtida pelo jornal O Globo.

O filho de 24 anos de Bolsonaro era investigado por tráfico de influência, por receber um carro de uma empresa que, posteriormente, conseguiu agendar um encontro o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. A investigação foi encerrada em agosto deste ano, sem indiciamentos.

O deputado Ivan Valente afirmou que deve protocolar um novo requerimento para ouvir o general Heleno. "O cancelamento da vinda do general é uma quebra de acordo por parte do governo. Normalmente os requerimentos de convocação são transformados em convites, mas, nesse caso, deve ser mantido como convocação do ministro", disse ele em nota. Ainda não há nova data para ouvir Heleno.