SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O coordenador da transição de governo em São Paulo, Guilherme Afif Domingos (PSD), anunciou nesta terça-feira (22) os nomes da equipe escolhida pelo governador eleito Tarcísio de Freitas (Republicanos).

São cerca de 100 pessoas no total, incluindo nomes que trabalharam com Tarcísio no Ministério da Infraestrutura, ex-assessores do ministro Paulo Guedes (Economia), bolsonaristas e membros de partidos aliados, como Republicanos, PL e PSD.

Haverá oito grupos temáticos: agricultura e abastecimento; desenvolvimento social, mulheres e PCD (pessoa com deficiência); educação, cultura e esportes; segurança pública e administração penitenciária; turismo; gestão, desenvolvimento econômico, ciência e tecnologia e finanças; meio ambiente, habitação e infraestrutura; e saúde.

Os trabalhos da transição começaram na quinta-feira (17), com uma reunião entre Tarcísio e o governador Rodrigo Garcia (PSDB). O secretário de Governo, Marcos Penido, coordena a transição pela parte de Rodrigo.

Um decreto estadual de 2006, publicado pelo então governador Cláudio Lembo (PFL), estabelece diretrizes para o processo de transição, mas não limita a quantidade de pessoas da equipe.

A norma diz que a equipe deve ser integrada por "profissionais e auxiliares" indicados pelo coordenador, que é Afif, e também por servidores designados pela Casa Civil.

O decreto ordena que as secretarias e órgãos forneçam informações precisas e em tempo hábil. A Casa Civil fica encarregada de fornecer infraestrutura e local de trabalho para a equipe.

O presidente do TCE (Tribunal de Contas do Estado), Dimas Ramalho, também determinou a criação de uma comissão para acompanhar os trabalhos da equipe de transição. O grupo, chefiado por Ramalho, terá seis profissionais da corte de contas paulista.