SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Michelle Bolsonaro voltou a aparecer em eventos do governo. Nesta quarta-feira (23), a primeira-dama participou do lançamento da distribuição gratuita de absorventes e itens de higiene para adolescentes e mulheres, após mais de 20 dias sem ser vista publicamente.

Ela entrou com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e permaneceu calada durante todo o evento, que durou cerca de 51 minutos. No lançamento, esteve presente também a senadora eleita e amiga pessoal dela Damares Alves (Republicanos-DF). Michelle foi elogiada durante os discursos de Queiroga e Damares, mas se contentou em apenas dar sorrisos.

Desde a derrota do presidente Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno eleitoral, em 30 de outubro, ele e a primeira-dama limitaram seu contato com o público. Oficialmente, a falta de aparições de Michelle, que foi considerada peça-chave na campanha de reeleição do presidente para atingir o público feminino e evangélico, é relacionada com a agenda esvaziada de Bolsonaro.

Mas, diferentemente do marido, Michelle continuou ativa nas redes sociais, especificamente no Instagram, onde agora frequentemente compartilha passagens bíblicas. Os posts dela envolvem textos em vez dos vídeos que antes postava nos stories, especialmente quando integrava a frente Mulheres Com Bolsonaro, junto a Damares.

Foi pela rede social que a primeira-dama negou uma suposta internação de Bolsonaro na semana passada e a mesma plataforma tornou o casal alvo de rumores quando os dois se deram 'unfollow' um dia depois do segundo turno, apesar de Michelle publicar declarações de amor para o marido por lá.

Com a derrota e o silêncio de Bolsonaro e Michelle, outras histórias sobre o bastidor do casal surgiram. Em 8 de novembro, o deputado federal Julian Lemos (União-PB), ex-aliado de Bolsonaro, acusou o presidente de bater na primeira-dama, depois de ela ter passado por um procedimento estético para troca de silicone em janeiro de 2020.

Segundo o parlamentar, a relação entre o presidente e a primeira-dama seria de "fachada", porém ele não apresentou provas sobre os supostos fatos.

Na terça (22), a socialite Maria Christina Mendes Caldeira, ex-esposa de Valdemar Costa Neto, presidente do PL, sugeriu em post publicado no Instagram, sem mostrar provas, que Michelle teve um caso amoroso com o ex-deputado federal Laerte Bessa (PL).