SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O PT fará pesquisas para reposicionar sua imagem no cenário nacional, no novo contexto de partido que comanda o governo federal.

Os resultados ajudarão a subsidiar as inserções gratuitas de TV a que a legenda terá direito, no final de março e início de abril.

"O povo brasileiro mudou desde que a deixamos a Presidência [em 2016], a classe trabalhadora mudou. Diante desse novo cenário, o partido precisa se reposicionar", diz o secretário de Comunicação do PT, Jilmar Tatto. Serão feitas pesquisas quantitativas e qualitativas.

A principal modificação, afirma o dirigente, é na natureza do emprego, agora com uma massa de informais e trabalhadores por aplicativo.

"No início do PT, a preocupação maior era com a carteira assinada. Agora há uma nova realidade", diz.

Outro posicionamento estratégico do PT que deverá ser explorado na propaganda partidária é se colocar como "a voz do povo dentro do governo". "É um governo de coalizão, e dentro dele o PT tem de representar o povo, as posições de esquerda, a opção pelo social", declara Tatto.

As peças da comunicação do partido devem ficar a cargo do publicitário Sidônio Palmeira, que fez a campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva.