Tarcísio Delgado anuncia desfiliação do PMDB após 46 anos de militância

Ex-prefeito revela que um dos motivos que o levou a deixar o partido é o não cumprimento do regimento do partido

Andréa Moreira
Repórter
10/8/2012
Coletiva Tarcísio Delgado

Após 46 anos de militância no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), o ex-prefeito de Juiz de Fora, Tarcísio Delgado, anunciou, na tarde desta sexta-feira, 10 de agosto, em coletiva para a imprensa local, a sua desfiliação. De acordo com Delgado, sua desfiliação não pode ser comparada a outras. "Eu ajudei a construir a história do PMDB, faço parte da história deste partido. Com o PMDB, eu fui líder da bancada em Juiz de Fora, Belo Horizonte e na Câmara Federal durante uma das épocas mais importantes neste país, quando foi criado o Plano Real."

O político também destacou que foi um dos fundadores do partido em Juiz de Fora. "Eu ajudei a fundar o MDB no ano de 1966, em um período muito difícil, que era a Ditadura Militar. Naquela época, era melhor ir para a Arena, mas, pela minha ideologia, escolhi o MDB."

Durante a coletiva, Delgado apresentou vários motivos que, segundo ele, o levaram a tomar a decisão. Entre eles, está a recusa do PMDB em apoiar sua candidatura ao governo do Estado e ao Senado. Além disso, o mais recente motivo foi a escolha do candidato que concorre às eleições municipais deste ano. "Muitos falam que eu larguei o PMDB porque nós perdemos a convenção municipal, mas isso não é verdade, pois o que aconteceu realmente foi a quebra do regimento do partido, pois a executiva do partido fez uma manobra e disse que eu não poderia participar da coletiva."

Delgado agradeceu aos companheiros de partido e disse que não quis comunicar sua saída antes para alguns colegas, pois isso tornaria o processo mais difícil. "Cheguei a falar com algumas lideranças estaduais e eles queriam que eu mudasse de opinião, mas minha decisão já estava tomada e eu não ia voltar atrás".

Nova filiação

Tarcísio disse que, neste momento, não cogita a possibilidade de filiar-se a outro partido. "Quero ficar um tempo fazendo política sem estar ligado a algum partido. Pois só deixarei a vida pública quando eu morrer." Cogitado sobre uma suposta volta ao PMDB, o ex-prefeito foi enfático. "Para que eu volte ao PMDB de Juiz de Fora, teria que mudar tudo no partido."

Apoio

Durante a coletiva, Delgado também manifestou seu apoio à candidata do PT, Margarida Salomão. "Minha decisão de apoiar Margarida surgiu após meu filho, Júlio Delgado, revelar que também apoiaria esta candidata." O político finalizou a coletiva afirmando não guardar mágoas e ter segurança e certeza quanto à decisão tomada. "Pode ser que eu venha a me arrepender no futuro, mas, no momento, tenho certeza que tomei a decisão mais acertada."

                                                                                                                                                                           Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.