Juiz de Fora - MG

Vereadores eleitos destacam pontos a serem trabalhados no Legislativo

Educação, saúde, área social e sustentabilidade são alguns dos focos que serão trabalhados pelos políticos

Andréa Moreira
Repórter
20/11/2012
Câmara Municipal de Juiz de Fora

O Portal ACESSA.com finaliza nesta terça-feira, 20 de novembro, a série de entrevistas com os vereadores "novatos" que irão ocupar uma cadeira na Casa Legislativa de Juiz de Fora entre 2013 e 2016. Dos 19 eleitos, dez foram reeleitos, dois já exerceram o cargo entre 2005 e 2008 e sete ocupam a função de vereador pela primeira vez em Juiz de Fora.

Eleito com 2.957 votos, o aposentado Oliveira Moura Tresse (PSC) ocupa uma vaga na Câmara pela segunda vez. Acreditando em uma maior união entre o Legislativo e o Executivo, o vereador avalia que o segundo mandato será mais produtivo.

"A Câmara depende muito da Prefeitura. E, como acredito que teremos um dos melhores chefes do Executivo no próximo mandato, acho que Juiz de Fora irá ganhar muito". Sobre os futuros planos, Tresse afirma que buscará atender a toda a cidade, mas que tratará com atenção especial dois locais. "Sou morador do Linhares e convivo diariamente com os problemas de lá. Para mim, o pior deles é o Ceresp, pois o local tem capacidade para 245 detentos e hoje comporta cerca de 800. Ou seja, aquilo é uma bomba dentro do bairro. Já na região Sudeste, local em que tive uma excelente votação, meu compromisso é tentar diminuir as desigualdades."

Hitler Vagner Cândido de Oliveira (PR), apesar de ocupar pela primeira vez uma cadeira na Câmara de Juiz de Fora, possui uma vasta experiência política. Eleito vereador no município de Chácara (MG) entre 2001 e 2004, conseguiu se eleger prefeito para o mandato de 2005 a 2008 e se reeleger para o período de 2009 a 2012. Para Oliveira, a mudança de função e de município não irá atrapalhar o seu desempenho. "Sei que agora minha função será de fiscalizar e legislar. Mas isso não me impede de intervir junto aos governos Municipal e Estadual para buscar recursos para Juiz de Fora. Afinal, durante estes anos adquiri experiência e conhecimento." O ex-prefeito de Chácara, que obteve 2.618 votos, afirma que irá aguardar a formação da Mesa da Câmara para escolher em qual área atuará. "Vou estudar com calma, em qual comissão poderei desempenhar meu trabalho da melhor forma, claro, sem deixar de atuar nas áreas que considero essenciais em qualquer município, que são a educação e a saúde."

Pela segunda vez concorrendo a uma vaga na Câmara Municipal de Juiz de Fora, o pastor André Luís Gomes Mariano (PMDB) conseguiu se eleger este ano, com 2.758 votos. Apesar de nunca ter desempenhado uma função política, Mariano afirma que possui certa experiência nesta área. "Meu pai, Valdivino José Mariano, foi vereador entre 2001 e 2004. E, naquele período, trabalhei como assessor dele. Outro fato é que dentro da minha igreja existe um departamento político e há algum tempo faço parte da Comissão da Cidadania." Sobre os futuros projetos que pretende implantar na Casa, Mariano afirma que terá como o foco a área social. "Já exercemos um trabalho de recuperação de jovens e pretendo apresentar projetos neste sentido para os meus futuros colegas, para ampliar ainda mais este tipo de atendimento. Mas também pretendo atuar nas áreas de educação, cultura, saúde e desenvolvimento urbano."

O funcionário público Nilton Aparecido Militão (PTC), também concorreu pela segunda vez a uma vaga do Legislativo de Juiz de Fora e conseguiu se eleger com 2.697 votos. Atuante em movimentos de bairro, acredita que isso irá ajudá-lo na atuação como vereador. "Já fui presidente da SPM [Sociedade Pró-Melhoramentos]  do bairro Santa Cruz e do Conselho Municipal de Saúde. Tudo isso me fez conhecer a fundo os problemas das camadas mais necessitadas, o que me fará atuar basicamente nas áreas de saúde, educação e assistência social." Militão afirma, ainda, que mais importante do que criar novos projetos, é fazer com que sejam cumpridos os já existentes, e avalia a parceria com o Executivo como ponto fundamental para o desenvolvimento de Juiz de Fora. "Acredito que devemos trabalhar junto com o prefeito, buscando, assim, o que é melhor para todos os cidadãos do município."

Único partido independente nas últimas eleições municipais de Juiz de Fora, o Partido Verde (PV) elegeu pela primeira vez um representante para a Câmara. Engenheiro civil e funcionário público, José Márcio Lopes Guedes, conhecido como Garotinho, conseguiu se eleger com 2.740 votos. Em 2008, concorreu a uma vaga pelo PMDB, mas foi no Partido Verde que achou sua identidade. "O PV possui a questão da sustentabilidade, e acredito que uma cidade deve se construir de maneira sustentável, com saneamento básico, moradia, meio ambiente e mobilidade urbana."

Guedes também ressalta que o município já possui muitas leis e o ideal é que se cumpram as existentes. "Acredito que os vereadores têm que discutir a cidade para saber os reais problemas." Mesmo assim, o engenheiro aponta uma falha existente no município. "Juiz de Fora não possui uma Secretaria de Planejamento, o que considero essencial para um crescimento adequado da cidade," afirma o Guedes, destacando que a educação é outro caminho para o desenvolvimento. "Mostrar para as pessoas como é importante descartar o lixo em local adequado e trabalhar a educação ambiental nas escolas são maneiras de contribuir para o crescimento sustentável da cidade."

Os textos são revisados por Juliana França

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.