• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Thaís Coutinho Thaís Coutinho 18/2/2010

    Pressão Arterial - Uma doença Silenciosa

    Frutas e legumes com um coração Pressão arterial é a pressão exercida pelo coração sobre as artérias. Pode ser medida por dois valores:

    1) Máximo (pressão sistólica), que diz respeito à pressão que o coração faz para bombear o sangue em direção aos outros órgãos

    2) Mínimo (pressão diastólica) que se refere à acomodação do sangue nos valos sanguíneos.

    É uma doença de múltiplas causas, caracterizada pelo aumento mantido dos valores da pressão arterial.

    O que acontece no organismo de um hipertenso?

    Suas artérias ficam apertadas e dificulta a passagem do sangue, razão pela qual o coração precisa exercer uma pressão maior para bombeá-lo.

    O diagnóstico da hipertensão arterial é estabelecido pelo encontro de níveis tensionais acima dos limites superiores da normalidade (140/90mmHg) quando a pressão arterial é determinada através de condições apropriadas.

    Em muitos casos não há uma causa conhecida para a hipertensão. Mas, eventualmente, problemas endócrinos e renais, gravidez, uso frequente de alguns medicamentos (anticoncepcionais, descongestionantes nasais, antidepressivos, corticoides e moderadores de apetite), bem como doenças neurológicas, podem ser causas de hipertensão arterial.

    A maioria das pessoas que tem hipertensão não apresenta sintomas. Quando presente, porém, podem manifestar-se como dor de cabeça, sangramento nasal, tonturas e zumbidos no ouvido. Outros como palpitação, dor no peito, falta de ar, inchaço, alterações visuais, perda de memória e de equilíbrio, palidez, problemas urinários e dores nas pernas demonstram que os órgãos alvo da doença podem estar comprometidos. Nestes casos, convém procurar um médico imediatamente.

    O diagnóstico é baseado na medida da pressão arterial com um aparelho próprio, usado em hospitais, ambulatórios e consultórios. Embora simples, a medida isolada da pressão sofre influência de vários fatores. Por conta disso, hoje a medicina utiliza outros recursos adicionais para diagnosticar a hipertensão.

    Um deles é o teste ergométrico, que mede a pressão do indivíduo durante o esforço físico e pode evidenciar se ele possui risco de desenvolver hipertensão. Outro é a monitorização ambulatorial da pressão arterial (MAPA), que registra a pressão do paciente 24 horas, ao longo de suas atividades diárias e do sono, fornecendo dados relevantes para o médico. Mas nenhum desses recursos substitui a avaliação clínica do paciente e a medida da pressão arterial em consultório.

    Por que é importante controlar a hipertensão?

    Porque a expectativa de vida de uma pessoa com hipertensão é 40% menor que a de um indivíduo sadio, ao longo dos anos. O fato é que, ao esforçar-se para bombear o sangue, o coração do hipertenso fica vulnerável à insuficiência cardíaca. Além disso, devido ao aumento da pressão, vai desgastando os vasos, que podem romper-se e causar o derrame cerebral. Esse desgaste ainda facilita o acúmulo de placas de gordura nas artérias, predispondo o indivíduo ao infarto. Outra consequência grave é o comprometimento do sistema de filtração dos rins.

    Qual é o tratamento?

    Para alguns, uma dieta com pouco sal e sem gordura, além da mudança de 3 hábitos de vida (deixar de fumar, ingerir menos álcool, fazer exercícios e emagrecer) são suficientes par manter a pressão controlada. Outros, porém, necessitam de medicamentos. Mas só o médico pode estabelecer o tipo de hipertensão, avaliar o estado dos órgãos alvo da doença e prescrever o tratamento indicado.

    Como é possível prevenir a hipertensão?

    Levar uma vida saudável, manter o peso ideal, não ingerir bebidas alcoólicas, fazer exercícios, não fumar e adotar uma dieta balanceada, com consumo moderado de sal são atitudes preventivas. Também é recomendável que toda pessoa com mais de 40 anos faça medidas periódicas de pressão – sobretudo quem tem histórico de pressão alta na família – sempre sob orientação médica.

    Qualquer elevação de pressão já é sinal de hipertensão?

    Não. A pressão varia nas 24 horas do dia e segue um ritmo próprio, influenciada pelo estado psicológico da pessoa, hábitos e atividades cotidianas. Portanto, pode subir momentaneamente, mas depois voltar ao normal. Para ser rotulado como hipertenso, o paciente deve apresentar níveis de pressão acima dos limites da normalidade, obtidos em medias consecutivas, em duas ou mais visitas ao médico.

    Orientações nutricionais

    Preferir:

    - Consumir uma dieta rica em frutas e verduras (principalmente cruas), legumes e cereais

    - Preferir preparações assadas, cozidas ou grelhadas

    - Utilizar óleos vegetais (milho, soja, oliva, algodão)

    - Ingerir de 8 a 10 copos de líquidos por dias

    - Preferir leite desnatado ao integral

    - Usar manteiga ou margarina sem sal

    - Utilizar queijos com pouca gordura (minas frescal, ricota, cotagge)

    - Reduzir o sal da dieta

    - Usar limão, azeite, orégano, manjericão, alecrim, temperos verdes, alho, cebola, pimentão, noz-moscada...

    Evitar:

    - Alimentos ricos em gordura (chocolate, feijoada...)

    - Cafeína (café, chá preto, chá mate e refrigerantes tipo cola)

    - Embutidos (calabresa, salame, mortadela, salsicha...)

    - Peixes enlatados, presunto, bacon, azeitonas, picles, temperos prontos, sopas desidratadas, concentrados em cubos, catchup, maionese, manteiga com sal)

    - O consumo de bebidas alcoólicas

    - O uso indiscriminado de alimentos dietéticos

    Recomendações Gerais:

    - Verificar sempre a pressão arterial

    - Procurar manter o peso adequado

    - Evitar o uso excessivo de sal no preparo dos alimentos

    - Evitar o fumo

    - Praticar exercícios físicos com orientação

    - Evitar situações estressantes

    - Dormir 8 horas diárias

    - Não interromper a medicação, nem deixar de tomá-la nos horários determinados

    - Procurar imediatamente o serviço de saúde, caso apresente algum sintoma de hipertensão

    - Manter hábitos de vida saudáveis

    - Evitar a utilização de remédios sem prescrição médica, pois alguns, como antiácidos e laxantes possuem alto teor de sódio.

     



    Thaís Coutinho é Nutricionista e Personal Diet 

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.