• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Ana Salles de Almeida Rocha Depois da diabetes Dona Ana passou a cuidar mais de sua saúde
    e de seu bem-estar

    Renata Solano
    *Colaboração
    04/04/08

    Sempre vaidosa, Ana Salles de Almeida Rocha tem 85 anos e, depois de descobrir a diabetes começou a se cuidar ainda mais. "Sempre comi de tudo e adoro doces, mas quando meu médico me proibiu de comer açúcares e carboidratos, fiquei muito triste. Mas com isso aprendi a reeducar minha alimentação e adoro comer frutas e verduras sempre", declara.

    Dona Ana comenta que sempre gostou de comer pães e doces, mas com o tratamento precisou parar de consumir esse tipo de alimento. Para ela, foi difícil se acostumar com as novas regras, no início. "O cafezinho com adoçante sempre foi um pesadelo, hoje não consigo mais tomar com açúcar. É questão de adaptar o nosso paladar", afirma.

    Saudosa de sua juventude, Ana comenta que sempre fazia ginástica e aulas de dança. "Com 59 anos descobri que estava com a glicose alta, mas há pouco tempo eu tive um machucado no meu fígado e precisei me tratar com medicamentos muito fortes. Fiquei muito fraca e com a cabeça meio ruim, mas estou me recuperando e pretendo voltar a freqüentar as festas do pró-idoso, as aulas de dança e a ginástica", comenta.

    Foto de Dona Ana regando as plantas Dona Ana comemora quando faz suas refeições. Sempre com muitas frutas, verduras, legumes e produtos dietéticos, a senhora diz que está satisfeita com seu corpo. "Quando descobri o problema de saúde, emagreci cerca de 12 quilos, então fiquei mais esbelta e bonita. A única coisa que me deixa um pouco chateada é que com o tratamento do fígado, meu cabelo começou a cair, mas ele está crescendo de novo e, por enquanto uso muito chapéu", conta.

    Pensando em viver até os 90 anos, Ana comenta que gostaria de viver muito mais, mas sempre com saúde. "Gosto da minha independência, sempre cuidei da minha casa sozinha, das minhas plantas e de mim mesma. Não quero que as pessoas sofram com a minha dor e nem quero viver doente. Quero viver o máximo que puder, mas com saúde e podendo tomar meu banho sozinha e fazendo as coisas que gosto", afirma.

    Foto do rosto de Dona Ana Ana diz que, antes de diagnosticar a diabetes, ela percebeu uns carocinhos nas pernas e muito desânimo. "Eu não sou desanimada, sempre fui muito ativa, sempre gostei de ir nas festas com os amigos, de ir nas missas, eu faço parte de um grupo de oração e sempre tive uma participação muito forte dentro de casa e da família. Então fiz os exames e o médico me disse da doença. Hoje lido muito bem com isso, a minha glicose não fica baixa, mas nunca fica alta demais. Só que, às vezes, sinto muita vontade comer doces, ainda mais quando vejo outras pessoas comerem", confessa.

    Ainda tomando medicamentos para manter a glicose baixa, dona Ana comenta que já pode comer pão, massas, biscoitos e arroz. "Hoje eu como de tudo, mas sempre com equilíbrio e com os cuidados que preciso para manter minha saúde boa. Adoro comer as verduras, mas como pouca fruta", descreve.

    *Renata Solano é estudante de Comunicação Social na UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.