Distensão ou estiramento muscular

Nome do Colunista Amanda Beloti 6/09/2019

A distensão muscular acontece quando um músculo ou tendão que se prende ao osso é submetido a um esforço e se estica demais, rompendo fibras musculares e causando inflamações locais.

Podemos chamar de estiramento ou distensão, com uma pequena diferença, que é o local onde acontece a lesão: se for no meio do músculo é chamado estiramento; se for próximo ao tendão do músculo (mais perto da articulação) é chamado de distensão.

Não acontece somente com atletas, como muitas pessoas pensam. Pode acontecer com qualquer pessoa, em qualquer lugar, na realização de tarefas do dia a dia.

Basicamente ela pode ser classificada em dois tipos:

- Distensão Aguda: ocorre quando o músculo é solicitado a fazer uma contração repentina, de forte intensidade. Por exemplo quando levantamos um objeto pesado do chão e sentimos uma pontada.

- Distensão Crônica: ocorre como consequência de exercícios repetitivos, que solicitam sempre os mesmos músculos. É o que ocorre por exemplo com os corredores, ciclistas e pessoas que participam de esportes competitivos.

E pode ser classificada também de acordo com a gravidade da lesão:

- Grau 1: há estiramento das fibras musculares, mas não há ruptura. A dor é mais leve e costuma passar em mais ou menos uma semana.

- Grau 2: há uma pequena ruptura de fibras no músculo, causando dor um pouco mais forte. A recuperação pode demorar alguns meses.

- Grau 3: ocorre ruptura total do músculo, causando dor intensa, inchaço, calor na região afetada e hematomas. A recuperação pode levar até um ano.

O risco de sofrer estiramentos musculares aumenta nas seguintes situações:

- Falta de condicionamento físico;

- Prática inadequada para a realização de cada tipo de exercício;

- Cansaço extremo;

- Excesso de peso corporal.

Os sintomas são: dor, hematoma, edema (inchaço), dificuldade de movimentação do músculo afetado. Quanto mais intensos os sintomas, maior a gravidade da lesão muscular. Quando há ruptura completa do músculo há também rompimento dos vasos sanguíneos, causando um enorme hematoma e inchaço local.

O tratamento pode ser feito com prescrição médica de antiinflamatórios, compressas de gelo, repouso e fisioterapia. Em lesões simples o próprio organismo se encarrega de reparar as fibras rompidas, absorvendo o coágulo e controlando a inflamação. As lesões mais graves exigem avaliação médica imediata e são seguidas de tratamento fisioterápico.

Obrigada pela leitura e até a próxima!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.