• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Dor no Cóccix – O que pode ser?

    Amanda Beloti Amanda Beloti 3/02/2020


    A dor no cóccix é uma queixa até que comum nos consultórios médicos e pode ter muitas causas. Vamos primeiro conhecer mais um pouco sobre este osso.

    O cóccix é um osso multissegmentado, localizado no final da coluna lombar, abaixo do sacro. É um osso relativamente pequeno, onde encontram-se fundidas o que seriam as quatro últimas vértebras.

    Apesar de pequeno, o cóccix desempenha papéis importantes para manter a estabilidade do corpo no movimento de sentar e agachar. Muitos tendões, músculos e ligamentos executam suas funções através do cóccix, principalmente os do assoalho pélvico. O assoalho pélvico compreende os órgãos da região baixa do abdômen e tem funções relacionadas aos sistemas reprodutor, urinário e digestivo. Os órgãos que estão posicionados nessa região são mantidos no lugar a partir de relações com músculos, tendões e fáscias (revestimento mais fino que os tendões). Estas estruturas se inserem no arcabouço ósseo da pelve e estabilizam os órgãos.

    Algumas vezes a dor no cóccix é uma coisa passageira, se for atribuída a uma queda, pancada ou permanência na postura sentada em superfície rígida por muito tempo.

    No entanto, se a dor for intensa e durar mais de uma semana, impedindo que a pessoa caminhe normalmente, ou se for acompanhada de outros sintomas como inchaço local ou febre, pode ser sinal de algum problema mais sério, merecendo uma consulta médica para que seja identificada a causa.

    Vamos agora passar pelas principais causas de dor no cóccix:

    1. Queda ou pancada – cair sentado. Embora na maioria das vezes a dor desapareça sozinha, após alguns minutos, existem casos de persistência da dor. Ela pode ficar cada vez mais forte, tornando intolerável a postura sentada. Neste caso, pode ter havido fratura do cóccix.

    2. Esforço repetitivo – praticar exercícios físicos como andar de bicicleta. Ficar muito tempo sentado em superfície mais rígida pode resultar em uma lesão coccígea, porque os músculos e ligamentos da região ficam muito tempo estirados, provocando o surgimento da dor.

    3. Gestação – durante os meses finais da gestação, a produção da “relaxina” deixa os ligamentos da pelve mais flexíveis, para permitir que os ossos se afastem para a passagem do bebê no parto normal. Por causa do aumento dessa flexibilidade, o cóccix se movimenta mais livremente, podendo desencadear dor ao sentar ou levantar. O uso de uma almofada em forma de círculo auxilia muito as gestantes que trabalham muito tempo sentadas, reduzindo a pressão sobre o cóccix.

    4. Má postura – pessoas que mantém uma má postura na posição sentada, por longos períodos (por exemplo, quem trabalha em frente a computador ou dirigindo), jogam muita carga sobre o cóccix, resultando em dor no final do dia.

    5. Cisto Pilonidal – Este cisto é uma pequena infecção que surge no cóccix, provocada pelo acúmulo de pelos e células mortas por baixo da pele. Além da dor que vai piorando, pode aparecer um pequeno caroço que vai aumentando com o passar do tempo. Neste caso é necessária uma pequena intervenção cirúrgica.

    6. Hérnia de Disco – em algumas hérnias discais lombares a dor pode se irradiar para o cóccix. Neste caso, tratando-se a hérnia de disco, a dor no cóccix também desaparecerá.

    7. Sobrepeso – o sobrepeso provoca uma sobrecarga em toda a coluna e em quase todo o corpo, mas, em especial, no cóccix, quando se está sentado. Com o passar do tempo, esta sobrecarga local pode causar uma dor leve, mas constante, que piora gradualmente. O ideal é buscar perder peso o mais rápido possível, mas, enquanto isso, medidas como dormir de lado com um travesseiro entre as pernas e sentar-se em cima de almofadas circulares são ideais para reduzir a pressão sobre o osso do cóccix. Em casos de obesidade grave podem surgir escaras de pressão!


    Portanto, concluímos que algumas dores são temporárias e requerem atenção para que não voltem. Outras podem persistir e merecem atenção, podendo ser necessário um tratamento mais específico com fisioterapia – e em último caso, cirurgia.

    Obrigada pela leitura e até a próxima! Pedidos de temas são bem-vindos em amanda.beloti@yahoo.com.br

    Amanda Beloti é Fisioterapeuta graduada em 2009 pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Especialista em Fisioterapia Traumato-Ortopédica pela mesma instituição. Instrutora Internacional de Pilates pela Pilates Plus (autorizada pela Associação Norte-Americana de Pilates). Sócia-proprietária do Consultório de Fisioterapia e Pilates STUDIO A.
    Telefones: (32) 9135-4097
    Email: amanda.beloti@yahoo.com.br

    Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.