Cal Coimbra Cal Coimbra 16/04/2008

16 de abril, Dia Nacional da Voz

Finalmente o Projeto de Lei 5849/2005 que dispõe sobre o Dia Nacional da Voz, de autoria do senador Tião Viana |(PT/AC), foi aprovado no 02 de abril pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. O projeto institui 16 de abril, como o Dia Nacional da Voz.

É preciso lembrar, sempre que possível, sobre a importância da voz saudável para a comunicacão. Todos os anos, nesta semana de 16 de abril, a classe fonoaudiológica comemora com informações à população em geral como manter a voz saudável, como tratá-la devidamente e como prevenir problemas vocais com exercícios para que não leve a graves conseqüências para a comunicação.

Também com a campanha "O Brasil unido na saúde da comunicação", criada pelos Conselhos Federal e Regionais de Fonoaudiologia, temos o espaço dedicado à voz que mantém o tema: Fale com um fonoaudiólogo, com ele você tem voz.

Cada vez mais entendemos que a voz não é um simples instrumento de trabalho de quem a usa, mais do que isso a voz sempre esteve inserida nas manifestações corporais e na vida emocional da pessoa desde a antigüidade. Daí, ela estar presente em todo nosso comportamento.

Os leitores podem reparar que todo mês de abril de cada ano, dedico este espaço à conscientização sobre os cuidados que devemos tomar ao falar.

  • Beber bastante água durante o dia todo.
  • Lembrar que o fumo é prejudicial e causador de várias doenças na boca, na garganta, no pulmão, chegando mesmo ao câncer.
  • As drogas fazem mal para o corpo e o psiquismo afetando a comunicação saudável.
  • Procure falar na altura adequada, levando em conta a proximidade de quem está conversando com você. Falar alto pode levar ao desgaste e com o tempo à rouquidão.
  • Procurar dormir bem com sono tranqüilo.
  • Fazer algum tipo de exercício que leve ao relaxamento, como yoga, por exemplo.
  • Observe se você sente falta de ar ao falar. Você pode estar com algum problema de difícil solução. Uma avaliação psicológica poderá contribuir com diagnóstico diferencial entre sinais físicos e psicológicos.

Lembre-se com freqüência que ao menor sinal de ruído, falha, ou qualquer outra mudança na voz, procure imediatamente um fonoaudiólogo e o otorrinolaringologista de sua confiança para exames e tratamentos adequados.

Para aprimorar a leitura:



Cal Coimbra
é psicóloga e doutora em Fonoaudiologia
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de Fonoaudiologia) você quer ler nesta seção? A fonoaudióloga Cal Coimbra aguarda suas sugestões no e-mail viver_fonoaudiologia@acessa.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.