Cal Coimbra Cal Coimbra 19/05/2008

O trabalho fonoaudiológico nas escolas

Não é de hoje, as dificuldades escolares têm sido preocupação de todos os segmentos envolvidos no processo de ensino e aprendizagem das crianças. Família, professores, diretores de escolas, dirigentes governamentais, enfim, profissionais de sobra para tentar resolver esses problemas.

Hoje em dia, é muito importante as escolas adquirirem um(a) fonoaudiólogo(a) consultor para auxiliá-la na otimização do ensino e aprendizagem.

Foto de 
uma professora escrevendo no quadro negro e os alunos copiando matéria de suas carteiras Como podemos auxiliar na otimização do ensino e aprendizagem dos alunos? Que orientações os professores podem receber para não desgastarem a voz? Sabe- se que alterações vocais em professores são em número significativo de dispensa médica.

Uma das saídas, a que me cabe desenvolver aqui para a promoção da saúde da comunicação, com orientação das dificuldades articulatórias, de fluência, de audição, de voz e de leitura e escrita, é esclarecer como realizar tal trabalho na parceria entre fonoaudiologia e dirigentes de escolas.

Com o objetivo de suscitar a conscientização e a valorização do trabalho fonoaudiológico na dinâmica escolar, o fonoaudiólogo pode assessorá-los nos vários setores que englobam assuntos relacionados à comunicação.

A saúde da comunicação deve fazer parte do planejamento da escola para tentar alcançar de fato o ensino com qualidade.

Podemos, por exemplo, assessorar na capacitação dos professores, mostrando a adequada forma de se colocar dentro de uma sala de aula, observando a postura corporal, a melhor maneira de utilizar a voz ao se comunicar com os alunos.

Observar os espaços físicos que envolvem toda a gama de trabalho da escola. Dar preferência às salas de aula nos locais que estejam longe do barulho das ruas.

Esclarecer aos pais, nas palestras que a escola costuma periodicamente reuni-los, o trabalho desenvolvido para melhorar a comunicação entre professores e alunos, informando-lhes sobre o ganho na qualidade ensino.

Reunir, periodicamente, com a equipe técnica da escola para levantarmos as características do perfil da comunidade escolar, orientando nas mudanças necessárias das ações efetivas e enfatizando as qualidades daquelas ações existentes.

Isto pode ser realizado com triagens periódicas, selecionando as dificuldades encontradas em todo contexto de ensino e aprendizagem. Por exemplo, quais os alunos que estão conseguindo acompanhar melhor? Quais estão encontrando mais dificuldades? Daí, detectarmos os pontos frágeis destes fatos.

Apresentar periodicamente os resultados do trabalho à equipe técnica, apontando as conquistas e reestruturar o que ainda temos a realizar. Lembrando que para que o trabalho seja de fato efetivo é preciso mobilizar todo o conjunto de profissionais que compõem a escola.


Cal Coimbra
é psicóloga e doutora em Fonoaudiologia
Saiba mais clicando aqui.

Sobre quais temas (da área de Fonoaudiologia) você quer ler nesta seção? A fonoaudióloga Cal Coimbra aguarda suas sugestões no e-mail viver_fonoaudiologia@acessa.com

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.