• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Sobre o que tenho aprendido com a espera...

    Nome do Colunista Ana Pernisa 22/06/2018

    Espera...

    Enquanto não entendemos seu motivo, muita ansiedade a envolve. Por ela, pagamos o preço que é proporcional ao grau de maturidade desse saber esperar.

    Espera...

    Momento de pausa, aparentemente necessária ou não, onde nada há para se fazer a não ser aguardar.

    Como  desaprendemos a aguardar, não é mesmo?  Com o corre corre cotidiano e o tempo curto, aguardar virou algo difícil. Tudo é para ontem! Com mil coisas para resolver ao mesmo tempo, o que fazemos é, em vez de pausar, encaixar mil horários na ilusão de podermos esticar o dia ao máximo...

    Assim, quando temos que esperar por algo ou não temos o que fazer, não sabemos lidar com a situação. Pausar, aguardar ou ter que esperar muitas vezes é algo que acaba gerando um grande desconforto, ainda mais quando não depende de você ou da sua vontade... Seja pelo movimento do outro, o compasso da música,  o amadurecimento de uma ideia, o tempo certo de Deus, o fato é que não temos mais o costume de desacelerar e, simplesmente, esperar por algo que muitas vezes não depende da feitura de nossas mãos...

    Na Bíblia, em Eclesiastes 3:1,2, o livro escrito por Salomão, homem de grande sabedoria e capacidade de observação, fala: "1Para tudo há um tempo determinado; Há um tempo para toda atividade debaixo dos céus, 2Tempo para nascer e tempo para morrer; Tempo para plantar e tempo para arrancar o que se plantou"  mas, quem pausa  para refletir nessas palavras tão reais? O fato é que, desabituados a observar o fluxo da vida, ficamos desorientados ao ver escorrer pelos dedos qualquer possibilidade de ação... Não conseguimos perceber que, em alguns casos, ter urgência, de nada contribui e que as vezes, só é possível para aquele momento, aguardar o tempo certo para que se possa partir para uma ação.

    Pergunto: E tem como colher, antes de plantar? Como colher um bom e nutritivo alimento, se aceleramos os processos de maturação?  Parece uma pergunta óbvia, mas na prática, não é tão fácil de se tomar contato...

    Há de ser preciso respeitar os ritmos e ciclos de cada processo e pessoa. A urgência interna destoa do externo que tem ritmo próprio... Gera ansiedade...

    E o que se dizer de urgência? Na maioria dos casos essa urgência é ilusória. Muitas vezes,  nada há a ser feito pois, nem sempre o produto final realizado, na pressa, será o mais bem elaborado e o agir precipitado não vai levar a lugar nenhum. "Bolo que sai antes de ficar pronto do forno, murcha..."

    E ai? O que fazer nesse tempo, quando a espera se faz necessária? Hora de respirar fundo e praticar a paciência... Ocupar a cabeça com outra coisa, também ajuda...  Procure aceitar e relaxar. Deixar ser levado tal como um barco na correnteza, esperando o momento certo da remada...

    Descansar o corpo e mente até que o próximo galeio seja possível...

    E aprender a observar...

    Sabe, o tempo de espera pode nos mostra que uma atitude mais rápida talvez não seja a ideal e isso atrapalhar um processo de amadurecimento, pois, depois  de um tempo, só o que tem força fica... A espera mostra o que realmente importa. A espera revela o que de fato é verdadeiro... Nesse período,  aprendemos  a  ver além do que se quer alcançar. Basta pausar para  observar e constatar que  o que é importante naquilo que se espera permanece... Assim, na espera é possível reavaliarmos a situação, pois o que é real permanece e o sentido verdadeiro se faz.

    Esperar pode ajudar a desnudar sua alma e redirecionar o seu  trajeto ao ter tempo de olhar para partes não vistas na ânsia de algo que se deseja resolver. Só esperar, podemos sentir o movimento do outro e ver o que se revela nas atitudes.

    Caminhar o caminho aguardando e aceitando o tempo das coisas certas pode ser, portanto, de grande valia.  O tempo da pausa, nesse caso, pode ser o que é necessário para que coisas se encaixem. É, observem, um dia a espera finda, finda quando uma solução finalmente pode surgir e uma página é virada. Por isso,  é bom aguardar o tempo certo para que uma clareza possa chegar.

    Nesse tempo de aprendiz, estou aprendendo que há um tempo certo das coisas e atualmente, meu lema é "ando devagar porque já tive pressa", e quando penso na letra dessa música, ela me banha a alma. Há o tempo certo de esperar e o de agir. O de observar, o de aprender e o de refletir. O de ficar e o de partir.  

    Portanto, nas esperas da vida, vou pegando carona em Almir Sater e absorvendo cada estrofe de sua música, "Tocando em frente"..

    Ótimo dia!
    Um beijo carinhoso.

    Tocando Em Frente
    Almir Sater
    (Algumas estrofes)

    Ando devagar
    Porque já tive pressa
    E levo esse sorriso
    Porque já chorei demais

    Hoje me sinto mais forte
    Mais feliz, quem sabe
    Só levo a certeza
    De que muito pouco sei
    Ou nada sei
    ...

    É preciso amor
    Pra poder pulsar
    É preciso paz pra poder sorrir
    É preciso a chuva para florir

    ...

    Cada um de nós compõe a sua história
    Cada ser em si
    Carrega o dom de ser capaz
    E ser feliz


    Ana Pernisa é Psicóloga, Pedagoga, Coach e Consteladora Familiar. Idealizadora do Grupo Terapêutico Companhia de Mulheres. Estudiosa e interessada em assuntos que possibilitam e sejam facilitadores ao desenvolvimento pessoal e profissional.

    Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.