Sobre altos e baixos da vida

Nome do Colunista Ana Pernisa 8/07/2019

Gosto de ditados e citações populares. Neles, podemos encontrar grandes verdades que surgem, muitas vezes, em colocações simples, porém certeiras.

Uma das utilizações mais comuns da palavra bonança é no ditado popular: "Depois da tempestade vem a bonança". Este ditado popular nos mostra que na vida, depois de situações ou fases complicadas, vem um tempo de talvez alívio e sossego. Nesse ditado, observamos um paralelo interessante com as nuances da vida, o que acontece na vida real, com  o que acontece no universo da navegação. Naturalmente,  depois de uma tempestade em mar vem a bonança, sendo possível navegar mais tranquilamente. Este ditado é muitas vezes usado para encorajar pessoas a se manterem firmes e com esperança mesmo durante fases mais turbulentas da existência humana. Podemos entender que, tal como na vida, navegar segue um fluxo, com de altos e baixos, tempestades e bonanças, expansão e recolhimento. Somos seres duais num universo dual. E, quanto mais nos abrimos para compreendermos essas oscilações que nos rodeiam e que também fazem parte do nosso eu, podemos navegar pela vida, sabendo que têm horas as correntezas nos levam de uma forma mais suave e horas que precisamos nos fortalecer para remar contra maré. 

É incrível, no entanto, observar como as pessoas estão se desconectando disso. Mergulhadas em mundos virtuais, onde os sorrisos e poses salpicam por todos os lados, esquecem que a vida é mais do que um close e selfs. A vida é pulsante e cheia de nuances. Ela, a Vida, com letra maiúscula, verdadeiramente, ocorre fora das massas engessadas que, se não tornarmos cuidado, estamos nos tornando!

A Vida real, tem choro, tem vela, tem fita amarela e nó na garganta. Tem nervoso, tem rompante, tem pedido de desculpa e sentimento, às vezes, de culpa. Tem riso que vira choro e choro que vira riso. Tem partida, tem chegada, tem amor que acabou em nada. Tem sonho, tem frustração. Tem também a persistência de sermos humanos, mesmo que esquecidos desse estado, mergulhados numa utopia de destinos desenhados.

A vida é cheia de esquinas, encruzilhadas, trevos, altos e baixos... A vida só é linear para aquele que não se arrisca viver. No entanto, viver Vida com letra maiúscula só é possível de uma forma, vivendo da forma humana, que foi nosso jeito ao nascer.

E para encerrar o texto de hoje, deixo aqui algo para pensar:

Como anda sua vida verdadeira? Como tem lidado com suas nuances? Os altos e baixos que nela permeiam?

Como anda a humanidade humana que habita em você?

Ótimo dia!

Um beijo carinhoso!

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.