• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009, atualizada às 17h55

    Secretaria de Estado da Saúde recomenda vacinação contra febre amarela em 18 estados do país


    Priscila Magalhães
    Repórter
    Madalena Fernandes
    Revisão

    De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), 18 estados do Brasil compõem a área de risco da febre amarela. Por isso, quem planeja viajar para o Norte, Centro-Oeste e para parte do Nordeste, Sudeste e Sul (veja todos as áreas de risco abaixo) e não se vacinou contra a febre amarela nos últimos dez anos, deve procurar um posto de saúde até dez dias antes da viagem, já que 90% dos vacinados apresentam anticorpos no décimo dia após a imunização.

    Segundo a enfermeira do Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), Maria Élida Pires de Almeida, a vacina é indicada para crianças acima dos nove meses de idade e faz parte do calendário básico. Somente em janeiro de 2009, 113 crianças foram imunizadas na cidade.

    A enfermeira diz que não há motivo para que os juizforanos provoquem uma corrida aos postos de saúde, já que nos anos de 1999, 2000 e 2001, 92,2% da população foi imunizada. "Como a dose de reforço só deve ser tomada após dez anos, ainda não há necessidade, pois a imunização de quem tomou em 1999 está vencendo agora".

    Além disso, em 2008, ano em que a população correu aos postos para se vacinar, foram 34.344 doses, incluindo a de reforço (com 1.937) e a primeira dose (32.407). "Quem ainda não se vacinou, deve procurar a vacina. Mas não há motivo para pressa, pois em Juiz de Fora não há casos registrados da doença", reforça a enfermeira, que afasta a possibilidade de uma campanha de vacinação. "Não há necessidade, pois a cobertura está boa na cidade."

    De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, em 28 de janeiro de 2009, foi confirmado um caso importado de febre amarela no município de Muriaé, na Zona da Mata. O paciente E.B., de 36 anos, residia na cidade há seis meses e contraiu a doença no Rio Grande do Sul, na cidade de Jóia, onde esteve no período de 26 a 30 de dezembro de 2008, com circulação na zona rural. Ao chegar em Muriaé, no dia 31 de dezembro, já apresentava um quadro febril. Ele foi internado em hospital do município no dia 2 de janeiro e faleceu cinco dias depois.

    Sintomas

    A febre amarela é uma virose transmitida pelo mesmo mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. O período de incubação da doença é de três a seis dias. A partir daí, o paciente começa a sentir febre, calafrio, dor de cabeça e no corpo, prostração, náusea e vômito. "Depois, há uma melhora repentina que pode chegar a dois dias. Entretanto, há agravamento do caso", explica Élida.

    Os próximos sintomas são febre alta, diarréia, vômito, insuficiência hepática e renal e hemorragias. "Os rins e fígado param de funcionar, a pessoa fica amarela e tem sangramento pelo nariz, boca, orelha, nas fezes e vômito. O caso evolui para coma e óbito." Segundo a enfermeira, entre o início dos sintomas e a morte são sete dias.

    Tão importante quanto a vacina, controlar a proliferação do Aedes aegypti também faz parte da prevenção. "A infestação do mosquito está alta na cidade e a população tem que nos ajudar a controlar", completa ela.

    Foto de um boneco 
passando mal

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.