Segunda-feira, 27 de abril de 2009, atualizada às 12h30

Planos de saúde ficam até 6,76% mais caros a partir de maio

Guilherme Arêas
Repórter

A partir do dia 1º de maio, os planos de saúde contratados por pessoas físicas a partir de janeiro de 1999, os chamados planos novos, poderão ficar até 6,76% mais caros. O teto do reajuste autorizado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) também inclui os planos adaptados à Lei 9.656/98. Em Juiz de Fora, até dezembro de 2008, 176 mil pessoas possuíam plano de saúde. Em todo o país, 6,5 milhões de usuários serão afetados pelo reajuste.

Como critério para o aumento, os planos só poderão ser reajustados de acordo com a data de aniversário de cada contrato, respeitando a retroatividade máxima de dois meses. A Agência alerta para que os consumidores fiquem atentos ao boleto de pagamento dos planos de saúde. Nele, deve constar o índice autorizado pela ANS, o número do ofício de autorização da ANS, nome, código e número de registro do plano, bem como o mês previsto para aplicação do próximo reajuste.

Confira como será aplicado o reajuste:

tabela dos planos de saúde

A ANS garante que a medida não sofreu influência da portabilidade dos planos de saúde, que entrou em vigor no dia 15 de abril. De acordo com o órgão, o reajuste é reflexo das variações de custo dos últimos 12 meses. Em abril de 2008, cerca de 200 procedimentos que não faziam parte das coberturas foram incluídos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde. Vasectomia, laqueadura ou exames de genética e serviços de profissionais como fonoaudiólogo, nutricionista e terapeuta ocupacional estão incorporados à cobertura assistencial mínima.

Em caso de dúvidas, os usuários podem entrar em contato com a Central de Relacionamento via Disque-ANS (0800 701 9656) ou pela página na Internet, no link Fale Conosco.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.