Terça-feira, 1º de setembro de 2009, atualizada às 16h30

Peritos têm dez dias para concluir laudo a respeito dos acautelados no Hospital de Pronto Socorro

Clecius Campos
Repórter

Os cinco peritos nomeados pela Vara de Execuções Criminais do Município de Juiz de Fora têm dez dias para concluir laudo a respeito dos acautelados que ocupam leitos do Hospital de Pronto Socorro (HPS).

Os processos que envolvem os cerca de 30 detentos internados no local foram enviados aos médicos voluntários e ao perito oficial da justiça, na última segunda-feira, 31 de agosto. De acordo com o juiz Amaury Lima e Souza, serão investigados apenas os acautelados do HPS. "É o hospital em que os problemas parecem estar mais graves. Por isso, a urgência é resolver a situação do local."

Na noite desta terça-feira, 1º de setembro, o grupo de psiquiatras reúne-se para discutir a metodologia dos trabalhos. De acordo com um dos peritos voluntários, o vereador José Laerte (PMDB), durante este encontro serão divididos os processos e definidos os critérios de avaliação. "Acredito que os dez dias possam ser suficientes para elaborar os laudos. Caso não sejam, um pedido de prorrogação de prazo pode ser facilmente feito."

Segundo Laerte, uma pré-avaliação dos acautelados, levando-se em conta depoimentos de funcionários e pacientes do HPS, pode ser precoce. "O estudo é necessário para definir a situação."

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.