• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quarta-feira, 9 de agosto de 2009, atualizada às 19h

    Trabalho educativo junto aos pacientes pediátricos e familiares consolida práticas de prevenção a doenças bucais

    Da Redação

    Com objetivo de ampliar e consolidar práticas de prevenção a doenças bucais e promoção à saúde, a equipe multidisciplinar do Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente (rua Espírito Santo, 1023) conta, agora, com uma técnica em saúde bucal (TSB) que desenvolve trabalho educativo junto aos pacientes pediátricos e seus familiares.

    Em média, a profissional Maria Aparecida Couri orienta 20 usuários por dia, das 7h às 11h e das 13 às 17h. Entre as atividades, está a instrução quanto à prevenção de doenças bucais para mães de crianças usuárias da puericultura, recém-nascidos de alto-risco, pacientes do Programa de Reabilitação e Estimulação Visual (Prev), gestantes adolescentes e seus filhos. Maria Aparecida oferece também palestras elucidativas, utilizando como instrumento educativo filmes sobre como cuidar da higiene da boca.

    Práticas saudáveis no dia-a-dia quanto à alimentação ideal da criança e o acompanhamento dos pais durante a escovação podem evitar doenças comuns na infância, como a cárie, que é contagiosa. A escovação deve ser feita, no mínimo, quatro vezes ao dia, após as principais refeições. Com os dentes de leite, a higienização pode ganhar auxílio de uma dedeira e creme dental sem flúor, já que, em Juiz de Fora, a água oferecida pela Cesama apresenta o elemento na medida exata.

     

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Com objetivo de ampliar e consolidar práticas de prevenção a doenças bucais e promoção à saúde, a equipe multidisciplinar do Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente (Rua Espírito Santo, 1023) conta, agora, com uma técnica em saúde bucal (TSB) que desenvolve trabalho educativo junto aos pacientes pediátricos e seus familiares. Em média, a profissional Maria Aparecida Couri orienta 20 usuários por dia, das 7h às 11h e das 13 às 17h. Entre suas atividades está a instrução de mães de crianças usuárias da puericultura, recém nascidos de alto-risco, pacientes do Programa de Reabilitação e Estimulação Visual (Prev), gestantes adolescentes e seus filhos quanto à prevenção de doenças bucais. “O açúcar é o grande vilão contra os dentes”, lembra Maria Aparecida a todos os atendidos.

    Além das orientações, a profissional oferece palestras elucidativas, utilizando como instrumento educativo filmes sobre como cuidar da higiene da boca. “Por meio de práticas interativas, palestras e materiais educativos, são repassados cuidados preventivos que se deve ter com a boca e os dentes. Isso ajuda a manter e melhorar, não só a saúde bucal, mas previne, no futuro, doenças como a diabetes, hipertensão e câncer”, observa Maria Aparecida.

    A profissional explica que práticas saudáveis no dia a dia quanto à alimentação ideal da criança e o acompanhamento dos pais durante a escovação podem evitar doenças comuns na infância, como a cárie, que é contagiosa. Ela revela que algumas orientações são recebidas como novidade pelos pais, como a higienização das gengivas do bebê mesmo quando ainda não apresentar dentição. “Engana-se a mamãe que acha que higiene da boca é só com o aparecimento dos dentinhos ou que os decíduos, vulgarmente conhecidos como dentes de leite, não precisam de cuidados porque têm vida curta. A saúde destes dentes influencia na formação dos permanentes. Com gaze ou fralda molhada em água filtrada, a mãe pode limpar as bochechas, gengivas e a língua do bebê”, orienta a técnica.

    A escovação deve ser feita, no mínimo, quatro vezes ao dia, após as principais refeições. “O açúcar deve ser evitado enquanto puder. Quanto mais tarde for introduzido na alimentação da criança, melhor. As mamadeiras não precisam ser adoçadas, pois a criança desconhece este sabor. O leite materno também possui o açúcar, por isso a importância de higienizar também a boca dos bebês que mamam no peito”, finaliza Maria Aparecida.

    Maria Aparecida ressalta ainda que, com os dentes de leite, a higienização pode ganhar auxílio de uma dedeira e creme dental sem flúor, já que, em Juiz de Fora, a água oferecida pela Cesama apresenta o elemento na medida exata. “Devido a imaturidade de deglutição, a criança pode apresentar a fluorose, doença por consequência da ingestão excessiva dos fluoretos presentes nos cremes dentais, deformando o esmalte dos dentes, tornando-os esbranquiçados. Afinal, o que limpa os dentes é a escova, a pasta serve somente para dar um bom hálito”, explica.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.