• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quinta-feira, 4 de fevereiro de 2009, atualizada às 18h

    Análise de cosmético constata irregularidades em 76% das amostras

    Daniele Gruppi
    Subeditora

    A Fundação Ezequiel Dias (Funed) analisou diversos cosméticos de uso comum e constatou, no balanço parcial, que 76% das 112 amostras apresentam inadequações. Os produtos analisados foram gel para cabelo, hidratante corporal, condicionador e shampoo de uso adulto, sabonete hospitalar, defrisante, desodorante spray, antisséptico bucal e filtro solar.

    Das amostras analisadas, 59% apresentaram problemas na análise de rotulagem por não atender à legislação vigente; 12% apresentaram pH insatisfatório, 6% apresentaram contaminações microbiológicas e 2% alterações no aspecto do produto.

    As amostras foram coletadas ano passado no Estado e passaram por análises de rotulagem, fisico-químicas e microbiológicas, para avaliar as especificações conforme registro e notificação do produto junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e de acordo com a legislação vigente.

    O resultado final da análise será divulgado em março. Se for insatisfatório, o fabricante será notificado pela vigilância sanitária e estará sujeito a medidas que vão desde multas, interdição do produto e retirada do mercado até o fechamento do estabelecimento responsável pela fabricação.

    As análises fazem parte do Programa de Monitoramento Estadual de Qualidade de Cosméticos, em uma parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo a chefe da seção de farmácia e bioquímica da Secretaria Municipal de Saúde, Denise Campos Pereira, o programa há cinco anos contribui para a melhoria da qualidade dos produtos. "Não basta só registrar o produto na Anvisa. Como as indústrias sabem que existe o monitoramento, estão preocupadas em estar em conformidade com a regulamentação."

    Em 2008, tintura, álcool, shampoo, sabonete líquido e anti-séptico bucal estiveram entre os produtos analisados. Das 119 amostras, 74% estavam inadequadas, sendo registradas falhas na rotulagem em 63% delas. De acordo com Denise, este ano, o município já recebeu a lista de cosméticos que poderão ser analisados. Alisantes, creme dental com flúor, creme dental para sensibilidade dentária, enxaguatório bucal infantil com flúor, álcool gel, filtro solar e outros fazem parte da relação.

    Cuidados do consumidor

    De acordo com a farmacêutica e chefe do Serviço de Medicamentos, Saneantes e Cosméticos da Funed, Amália Soares Santana, o consumidor deve consultar o site da Anvisa para verificar se o produto é registrado. "Os órgãos de vigilância de todo o país têm informações sobre os cosméticos, os saneantes e os medicamentos."

    Se o consumidor tiver reação a algum produto utilizado, Amália aconselha a entrar em contato com a vigilância sanitária da cidade, separar uma amostra e registrar ocorrência. "Um laboratório vai verificar se há irregularidades no produto ou se o uso foi incorreto. Em Juiz de Fora, o telefone disponibilizado é (32) 3690-7472.

    Caso o cosmético apresente contaminações microbiológicas, poderá provocar consequências no consumidor, por isso, é preciso que as pessoas observem a coloração, cheiro e o aspecto do produto. 

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.