Chegada do calor exige cuidados especiais com os olhos Entre os sintomas percebidos estão prurido, irritação, lacrimejamento e baixa de visão, que, se não tratados corretamente, podem acarretar problemas graves

Aline Furtado
Repórter
23/10/2010
Olhos

Basta o tempo esquentar um pouco para muitas pessoas começarem a sentir nos olhos os efeitos do calor. Coceira, irritação, vermelhidão, lacrimejamento, baixa de visão, sensação de incômodo, entre outros. Estes são alguns dos sintomas alérgicos ocasionados devido à alteração do tempo e a outros fatores externos, como poeira, poluição, cloro, ar condicionado e até mesmo produtos usados na pele.

"É importante que as pessoas estejam atentas a qualquer alteração, como lacrimejamento, ardência ou embaçamento, para que o problema não vire algo mais grave, como uma infecção na córnea ou um glaucoma", lembra o oftalmologista Luciano Arantes.

Entre os transtornos que podem surgir estão, além do prurido ocular, que pode ocasionar ferimentos ao redor dos olhos, traumas que comprometem seriamente a córnea. "Existe a possibilidade de inflamação da córnea, a ceratite, que, se não cuidada, pode gerar a perda da visão."

De acordo com o profissional, os sintomas são mais comuns no período de calor mais intenso devido à exposição aos raios ultravioletas e à propensão de as pessoas se aglomeraram com mais frequência. "É a época em que as piscinas e as cachoeiras estão lotadas, o que facilita o surgimento de problemas devido aos riscos de contaminação."

O médico diz que as pessoas devem ficar atentas à região dos olhos, que pode sofrer agressões com o uso de shampoos, condicionadores, cremes e protetores solar. "Devem ser produtos de boa procedência, a fim de evitar irritação aos olhos." Ele lembra que as mulheres devem se atentar à maquiagem e às tinturas de cabelo, a fim de não expor os olhos à agressão externa.

Outra dica valiosa é a higienização das mãos. "As mãos tocam em qualquer coisa e são meio de contaminação. Por isso, é fundamental lavar sempre as mãos e, ainda assim, evitar de levá-las aos olhos para coçar ou esfregar. O ideal é fazer uso de lenços descartáveis e de soro fisiológico para limpeza, no caso de irritação."

Não à automedicação

Arantes destaca a importância de as pessoas não buscarem resolver os problemas por conta própria. Isso porque cada caso é um caso e só um especialista poderá diagnosticar a doença a ser tratada, se é uma alergia, uma conjuntivite, uma ceratite ou olho seco.

"Muita gente acha que ir até a farmácia e comprar um colírio qualquer vai ajudar. Muito pelo contrário, a situação pode ser agravada, já que se o medicamento for usado de forma incorreta, pode haver a perfuração da córnea." Segundo o médico, existem colírios que anestesiam, o que acaba por apenas mascarar o problema.

Óculos de sol

Com relação aos óculos de sol, Arantes reforça a importância da compra de produtos de procedência conhecida e que tenham filtro contra os raios ultravioletas. "Os óculos comprados por preços baixos e sem qualquer tipo de proteção podem dilatar as pupilas, fazendo com que a radiação entre com facilidade, podendo queimá-las." O especialista explica que o fato de as lentes serem escuras faz com que as pessoas acreditem estarem protegidas, o que não é verdade.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

 

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.