Quarta-feira, 6 de abril de 2011, atualizada às 19h

Mais de mil pacientes aguardam por cirurgias eletivas de ortopedia e de otorrino em JF

Aline Furtado
Repórter

A fila de espera por cirurgias eletivas, com baixo grau de urgência, nas especializações de ortopedia e otorrinolaringologia na rede pública de saúde de Juiz de Fora contabiliza, atualmente, 1.200 pacientes, sendo 800 aguardando intervenções na área ortopédica e 400 em otorrino. Os dados são referentes a pacientes da cidade e de mais 24 municípios da área referenciada.

"Não é possível precisar o tempo de espera nas filas porque dependemos da demanda de urgência e emergência, mas é possível afirmar que estes são, hoje, nossos dois grandes gargalos", explica a subsecretária de Regulação da Secretaria de Saúde (SS), Débora Lommez de Albuquerque.

No caso das cirurgias ortopédicas, o tempo de espera tende a ser maior em função do número de idosos, mais propensos a quedas, assim como devido ao índice de acidentes de trânsitos. "Trabalhamos com três tipos de prioridade no atendimento, sendo que as demandas consideradas de níveis dois e três acabam ficando um tempo maior na fila. Contudo, estamos buscando resolver esta situação." Ainda diante da espera, Débora afirma que, em 2010, das 2.915 pessoas que aguardavam intervenções cirúrgicas na ortopedia, aproximadamente, 2,5 mil foram atendidas.

A subsecretária explica que o tempo de espera sofre interferência, inclusive, de períodos do ano. "No frio, por exemplo, as pessoas tendem a sair menos de casa, assim como nas férias escolares as crianças ficam mais expostas aos riscos. Consequentemente, se temos menor demanda da urgência e emergência, as eletivas são atendidas mais rapidamente."

Uma saída para o fim das filas, no caso da ortopedia, seria a possibilidade de parceria entre a SS e a Hospital e Maternidade Therezinha de Jesus, a fim de que sejam realizados cerca de cem atendimentos cirúrgicos por mês. "Estamos em fase de negociação e dependemos da aprovação do Conselho [Municipal de Saúde], mas, tendo como parâmetro outras parcerias, esperamos que as coisas evoluam."

Outra parceria que já foi firmada irá possibilitar a realização de 240 atendimentos na área de otorrinolaringologia por mês, por meio do Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). "Pensando que um paciente pode passar pela primeira consulta e ter, ainda, uma consulta de retorno, esperamos que o atendimento aos cerca de 400 pacientes que estão aguardando seja efetuado em um prazo de quatro meses." As avaliações devem ser iniciadas, no máximo, em 15 dias.

Atualmente, os hospitais Santa Casa de Misericórdia, João Penido, HU, HTO e o Hospital de Pronto Socorro (HPS) realizam cirurgias ortopédicas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Já as cirurgias na especialidade de otorrinolaringologia, pelo SUS, são oferecidas pelo HU e pelo Hospital João Penido.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.